Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Correa e Obina aceitam cobrança e protegem garotos do elenco

Luiz Ricardo Fini São Paulo (SP)

A torcida do Palmeiras dividiu suas atenções neste domingo. Enquanto apoiava os garotos das categorias de base, o público alviverde cobrou diretoria e alguns jogadores mais experientes, principalmente o volante Correa e o atacante Obina. Com 208 partidas pelo clube, o meio-campista entende como natural os protestos feitos nas arquibancadas durante a derrota por 2 a 1 para o Atlético-GO, no Pacaembu.

“Não poderíamos esperar aplausos, porque o torcedor está chateado, assim como nós. Cada um assume sua parte e falei para os garotos que eles não tiveram responsabilidade com o que aconteceu, mas podem construir a história a partir de agora”, afirmou Correa.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Obina foi um dos mais xingados na partida deste domingo e espera que garotos não sejam alvos
Apesar de sua má atuação, Obina acredita que pôde proteger os mais jovens de críticas neste domingo. “Eles viram os mais experientes sendo xingados e espero que não aconteça com eles, quero que sejam sempre aplaudidos. Temos de manter a tranquilidade para os garotos conseguirem mostrar o bom futebol deles”.

O técnico Gilson Kleina mesclou atletas da base a reservas mais experientes neste domingo, mas a estratégia não funcionou, com mais um tropeço no Campeonato Brasileiro.

Com o rebaixamento decretado de forma antecipada, Correa tem pelo menos uma meta para a rodada de encerramento, contra o Santos, na Vila Belmiro. “Vamos trabalhar nesta última semana, para fecharmos com dignidade contra o Santos”, completou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade