Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Desmotivado por eleição, Tirone confia: “Planejamento é na Série A”

Gabriel Carneiro, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

No próximo mês de janeiro, os conselheiros do Palmeiras vão às urnas para definir o presidente do clube no biênio 2013-2014. Possível candidato à reeleição, Arnaldo Tirone fugiu do assunto nesta terça-feira, quando compareceu ao evento de lançamento da bola do Campeonato Paulista da próxima temporada. O mandatário se diz “desmotivado” para pensar em política nesse momento de crise e luta contra o rebaixamento.

Com 33 pontos, o Verdão ocupa o 18ª lugar na tabela de classificação, sete pontos atrás do Bahia, primeiro time fora da zona de rebaixamento. Para seguir na briga contra a degola, o clube trata como prioridade o compromisso do próximo domingo, em Presidente Prudente, contra o líder Fluminense, que pode até ser campeão nessa rodada dependendo da combinação de resultados.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Tirone está planejando o Palmeiras de 2013 para jogar Libertadores e também a Série A do Brasileiro
“Estou fazendo o meu melhor, pensando no jogo contra o Fluminense. Não estou pensando em eleição, porque não tenho motivação para isso. Política e pretensões futuras não me motivam hoje. Penso apenas em acreditar que nada de ruim vai acontecer com o Palmeiras. Apesar de ter o direito de pensar em reeleição, não estou pensando”, contou Arnaldo Tirone em sua rápida passagem pela sede da FPF nesta terça-feira.

Apesar do título da Copa do Brasil conquistado após um jejum de quatro anos, o nome de Tirone não tem força política como antes. Sem falar em reeleição, mas mantendo a fé em seu trabalho nas últimas quatro rodadas do Brasileirão, o presidente palmeirense admitiu que já pensa na montagem do elenco para 2013, ano de Libertadores e Brasileirão: “Com toda humildade, meu planejamento é para Libertadores e Série A”.

No último domingo, enquanto o Palmeiras buscava o empate contra o Botafogo nos acréscimos, na Arena Fonte Luminosa, Tirone expressava o momento do clube ao segurar um terço nas mãos e rezar durante toda a partida, cujo resultado se mostrou insuficiente para aliviar a situação da equipe na luta contra o rebaixamento.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade