Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Entre protestos e apoio, garotos do Verdão perdem para Atlético-GO

Luiz Ricardo Fini São Paulo (SP)

Uma semana depois de ter decretado seu rebaixamento à Série B do Campeonato Brasileiro, o Palmeiras voltou a atuar no estádio do Pacaembu e, com uma equipe repleta de garotos, perdeu por 2 a 1 para outro time que já caiu, o Atlético-GO. Em meio a protestos contra alguns jogadores e a diretoria, os torcedores apoiaram os garotos, que não conseguiram exibir uma grande atuação.

Apesar da vontade demonstrada no início do jogo pelos palmeirenses, o time visitante aproveitou falha do goleiro estreante Raphael Alemão para abrir o placar com Rayllan. Ainda no primeiro tempo, Patrick Vieira empatou o jogo. Porém, na etapa final, Ernandes chutou rasteiro de fora da área e superou o arqueiro palmeirense.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Torcida do Palmeiras protestou contra o time, mas apoiou os jovens que ganharam chance neste domingo
O Verdão ainda teve a estreia de outros três garotos neste domingo: o lateral direito Bruno Oliveira e os meias Índio e Diego Souza. Antes, durante e depois da partida, a torcida xingou o presidente Arnaldo Tirone e o vice Roberto Frizzo, além de alguns atletas, como Correa e Obina. Mesmo assim, os alviverdes não deixaram de cantar o hino e apoiar os mais jovens.

Com o resultado, o Verdão permanece com 34 pontos, no 18º lugar do Nacional. Já o Atlético tem apenas 30. Na última rodada do Brasileirão, o time de Gilson Kleina enfrenta o Santos.

O jogo - Assim que o árbitro apitou o início do confronto, a torcida alviverde interrompeu os protestos e passou a cantar, apoiando os jogadores. A iniciativa de Vinícius nas jogadas individuais levantou os presentes nas arquibancadas, enquanto a sequência de erros de Obina logo no começo irritou os palmeirenses.

Apesar da vontade exibida pelo time, a falta de entrosamento pesou nos lances iniciais, faltando sintonia na troca de passes. A primeira oportunidade alviverde saiu em cobrança de falta da meia-esquerda. Correa se posicionou para bater, mas permitiu que Bruno Dybal fizesse a cobrança, acertando a barreira. No rebote, Mazinho chutou forte e viu Márcio segurar.

Pouco depois, Bruno Oliveira avançou pela direita e bateu para fora. Na jogada seguinte, Dybal recebeu com liberdade pelo meio e arriscou a conclusão, errando o alvo. Depois de apenas se defender, o Atlético foi ao ataque e abriu o placar, aos 16 minutos. Atrapalhado pelo atacante adversário Patric, Raphael Alemão tentou tirar pelo alto de soco, mas não conseguiu afastar da área e a bola sobrou para Rayllan, que cabeceou para as redes.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Ernandes marcou o gol da vitória do Atlético na partida deste domingo, no estádio do Pacaembu
Instantes após ter aberto o placar, o clube visitante quase ampliou. Marino cruzou para Patric cabecear, acertando o travessão. No entanto, o Palmeiras não se abalou e conseguiu igualar, aos 25. Correa levantou a bola na área, Obina disputou pelo alto com o goleiro e a sobra ficou para Patrick Vieira estufar as redes.

Depois do gol, Obina pediu pênalti em disputa pelo lado esquerdo da área, mas o árbitro considerou a jogada normal. Já Raphael Alemão teve trabalho para evitar mais um gol de Rayllan, depois de cruzamento da direita. Quando o jogo estava perto do intervalo, Correa bateu falta e exigiu boa defesa de Márcio. Ainda teve tempo para Obina desperdiçar uma chance ao furar de perna esquerda.

Para o segundo tempo, o técnico Jairo Araújo colocou Marcos na vaga de Adriano, e o time visitante voltou melhor. Mesmo assim, a primeira chance foi do Verdão, em cobrança de falta de Correa, que pegou na rede pelo lado de fora. No entanto, o time de Goiânia pulou novamente à frente do placar, aos 11. Ernandes chutou rasteiro de fora da área e Raphael Alemão não conseguiu defender.

Arte GE.Net
Logo depois do gol, a torcida voltou a xingar o presidente Arnaldo Tirone. Melhor em campo, o Atlético teve nova oportunidade, quando Dodó saiu de frente para Raphael Alemão, que fez grande defesa. Ao perceber as dificuldades de sua equipe em chegar com perigo, Gilson Kleina fez a primeira alteração, promovendo a estreia do meia-atacante Índio para a saída de Mazinho, vaiado.

No desespero, o time mandante partiu para o ataque e Vinícius recebeu livre na área, mas bateu fraco, de primeira, para defesa de Márcio. Na intenção de dar novo ânimo ao time, o treinador também tirou Patrick Vieira para colocar outro estreante, Diego Souza. Porém, a situação complicou com a expulsão do zagueiro Wellington.

A partir daí, a torcida passou a xingar dirigente e alguns jogadores, como Correa e Obina. No fim do jogo, Vinícius quase empatou, mas Márcio salvou o chute de dentro da área do atacante.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade