Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Fred dá o título ao Fluminense e impõe desespero ao Palmeiras

Luiz Ricardo Fini Presidente Prudente (SP)

O atacante Fred cumpriu seu papel de ídolo do Fluminense e deu o título antecipado do Campeonato Brasileiro, neste domingo, em Presidente Prudente. Em um jogo eletrizante, o Tricolor das Laranjeiras venceu por 3 a 2, garantiu a taça e ainda jogou o Palmeiras para uma situação ainda mais desesperadora.

O goleador das Laranjeiras abriu o placar no primeiro tempo, aproveitando rebote. Já na etapa final, Fred cruzou e comemorou quando Maurício Ramos mandou em direção à própria meta e marcou gol contra. Depois disso, o Verdão reagiu de forma surpreendente. Barcos e Patrick Vieira igualaram a contagem. Maikon Leite ainda teve a chance de virar, mas não conseguiu.

Como o Vasco segurou o empate por 1 a 1 contra o Atlético-MG neste domingo, o Fluminense precisava apenas de uma vitória para ser campeão. Assim, aos 43 minutos do segundo tempo, Fred recebeu na área e chutou para marcar o terceiro gol. Pelo segundo ano consecutivo, o Palmeiras esteve na partida em que saiu o campeão brasileiro. No ano passado, os alviverdes viram a glória do rival Corinthians.

Com o resultado positivo, o time de Abel Braga chegou aos 76 pontos e se tornou tetracampeão brasileiro, pois não pode mais ser alcançado. Já o Palmeiras tem apenas 33, no 18º lugar do Nacional.

O Palmeiras volta a campo no domingo, quando enfrentará o Flamengo, às 17 horas (de Brasília), em Volta Redonda. Já o Fluminense cumprirá tabela com o Cruzeiro, no mesmo dia, no Engenhão.

O jogo:O Palmeiras começou a partida exibindo mais ímpeto na busca pelo ataque. Mesmo assim, a primeira finalização foi do Fluminense, com Rafael Sobis, que dominou pela meia-esquerda e arriscou a batida, carimbando a defesa. Na jogada seguinte, o time mandante respondeu. Wesley cruzou da direita e Obina subiu mais que os defensores para cabecear com perigo, ao lado do gol.

O garoto Patrick Vieira se mostrou uma boa alternativa no início do confronto. Apesar de jovem, o meia mostrou ousadia para partir em direção da marcação, apostando em jogadas individuais. Em uma das tentativas, o atleta roubou a bola de Jean no meio-campo, avançou e abriu na direita para Barcos, que cruzou para o meio da área, mas Obina não dominou.

Mesmo pressionando na frente, o time paulista ainda levou sustos atrás. Aos 12, o lateral direito Bruno cruzou da direita e Fred cabeceou no meio da zaga, mas o goleiro palmeirense salvou o time. Sob intenso calor em Presidente Prudente, o Verdão tentou armar um setor defensivo sólido sempre que a bola caía nos pés dos adversários. Mesmo assim, Carlinhos achou espaço para tabelar com Fred e bater fraco, nas mãos de Bruno.

Do outro lado, Barcos recebeu de costas para o gol, marcado por Gum, mas girou e bateu para fora. No lance posterior, Bruno precisou sair do gol para afastar um lançamento com um soco, mas se chocou com Henrique, que caiu e precisou de atendimento médico. Na sequência, o árbitro Leandro Vuaden paralisou a partida para os jogadores dos dois times beberem água.

Henrique ainda se esforçou para continuar em campo depois da parada, mas não suportou as dores no peito e pediu substituição, dando lugar a Román. Sem conseguir chegar tocando bola, o Palmeiras apostou nas bolas paradas. Aos 27, Marcos Assunção bateu escanteio na medida para Hernán Barcos, que cabeceou sozinho na pequena área, por cima do travessão. O argentino escondeu o rosto com as duas mãos, sem acreditar na chance desperdiçada.

O Palmeiras não suportou o ritmo na tarde quente e diminuiu as buscas ao ataque. Já o Fluminense mostrou seu poder letal na frente. Ao contrário do Verdão, o time do Rio de Janeiro desperdiça poucas chances. Aos 40, Fred se antecipou à defesa na área e cabeceou na trave. No rebote, o goleador bateu errado e mandou sem direção.

Mas o atacante não deixou passar sua segunda chance. A jogada do gol começou quando Wellington Nem recebeu no meio da área, com liberdade, e bateu rasteiro. Bruno espalmou para seu lado esquerdo, e o rebote sobrou para Fred, que, livre diante de marcadores apáticos, chutou em direção ao gol. A bola passou por entre a marcação e estufou as redes, no último lance do primeiro tempo, aos 45 minutos.

No intervalo, Gilson Kleina optou por tirar Obina, que pouco produziu na primeira etapa, e colocar Maikon Leite. Além da troca de jogadores, o treinador também alterou a posição dos atletas, deslocando Correa para a lateral e mandando Wesley para o meio-campo.

Porém, quem ameaçou primeiro foi o Fluminense, em chute de Rafael Sóbis, defendido por Bruno. Logo depois do lance, a torcida tricolor comemorou o gol do Vasco, que, em São Januário, chegou ao empate contra o Atlético-MG. Era a combinação de resultados necessária para o time de Abel Braga ser campeão.

Os visitantes queriam garantir ainda mais o placar. Depois de Bruno espalmar um chute de longe, Rafael Sobis mandou para as redes, mas foi flagrado em posição de impedimento. Aos oito minutos, o time carioca ampliou. Fred cruzou da direita e Maurício Ramos mandou contra o próprio gol.

A situação do jogo foi o estopim para a torcida organizada palmeirense começar a xingar a maior parte dos jogadores do time. Kleina abriu ainda mais a equipe, pois tirou Marcos Assunção e colocou Luan. Já no Fluminense, Marcos Junior entrou no lugar de Wellington Nem.

Mesmo sob a forte pressão das arquibancadas, o Palmeiras foi ao ataque. Aos 16 minutos, depois de cobrança de escanteio, a bola sobrou para Barcos, que mandou para o gol. Apenas três minutos depois, Correa bateu falta da meia-direita e Patrick Vieira chegou sozinho de cabeça para empatar.

O Fluminense se abalou em campo e quase levou o terceiro logo depois. Maikon Leite recebeu livre pela direita da área e bateu forte, exigindo grande defesa de Diego Cavalieri. Se antes dos gols apenas a organizada do Palmeiras xingava os jogadores, depois do empate o estádio se uniu para entoar “vamos ganhar, Porco” e “mais um, mais um”.

Ao perceber seu time desestabilizado, Abel Braga fez a alteração que a torcida tricolor tanto critica: tirou um atacante, Rafael Sobis, para colocar um meio-campista, Valencia. A partir daí, o jogo ficou eletrizante, praticamente uma disputa de ataque contra defesa. As duas equipes buscavam o sistema ofensivo e tinham de se preocupar com contragolpes.

Correa chegou a pedir pênalti em disputa na área, mas o árbitro considerou a jogada normal. Aos 30 minutos, depois de confusão na área, Maurício Ramos chutou forte e Diego Cavalieri fez defesa incrível. Em seguida, foi a vez de o Fluminense pedir pênalti sobre Marcos Junior, mas Leandro Vuaden mandou seguir.

Na resposta do Fluminense, Fred pegou a bola livre atrás da zaga, mas chutou na rede pelo lado de fora. Aos 43 minutos, o goleador não desperdiçou, pois recebeu na área livre e chutou para estufar as redes.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade