Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Kleina vê assédio europeu a Valdivia e minimiza atrito com Assunção

Luiz Ricardo Fini São Paulo (SP)

O meia Valdivia vive uma incógnita no Palmeiras. O técnico Gilson Kleina espera contar com o chileno na próxima temporada, mas revelou a existência de assédio europeu pelo jogador, que está em tratamento de lesão no joelho esquerdo. Sem desmentir um atrito recente do Mago com o capitão Marcos Assunção, o treinador planeja se reunir na próxima semana com o camisa 10.

“Para não falar que não chegou nada, parece que tem o interesse lá de fora pelo Valdivia, do futebol europeu. Como ele estará em tratamento na semana que vem, vou esperar para ter uma conversa mais franca e transparente. A princípio, ele tem contrato até 2015 e nosso planejamento conta com ele”, afirmou.

Desde que voltou ao Palmeiras, em 2010, Valdivia passa por altos e baixos. No meio deste ano, o chileno quase deixou o Verdão, por conta do trauma pelo sequestro relâmpago que sofreu ao lado da esposa, que não aceita mais morar no Brasil. O clube, porém, recusou oferta do futebol árabe e manteve o atleta, que lesionou o joelho esquerdo no clássico contra o São Paulo.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Técnico Gilson Kleina confirma "cobrança mais forte" entre Marcos Assunção e Valdivia
Em recuperação do problema, o meio-campista se desentendeu com Marcos Assunção, que vinha jogando no sacrifício, recebendo infiltração no joelho direito. Na semana da partida contra o Flamengo, os dois discutiram na Academia de Futebol, mas Gilson Kleina alega que foi apenas uma conversa mais dura.

“Fiquei sabendo que tiveram uma conversa, uma cobrança mais forte de um com o outro, o que é normal no futebol. Mas não é um problema de relacionamento e nem vai afetar o grupo”, ponderou.

Marcos Assunção negocia sua renovação de contrato e tem grandes chances de permanecer. Mesmo se continuar com os dois na próxima temporada, Kleina não vê incompatibilidade no elenco.

“O Assunção tem inteligência acima de qualquer situação e sempre mantém o diálogo. É uma referência como capitão, e o Valdivia sabe o que representa ao futebol. Minha função é resgatar o futebol dele”, concluiu.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade