Futebol/Bastidores - ( )

Palmeirense, ministro crê em salvação e repudia ameaça a jogadores

Thiago Bastos Ferri, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

Aldo Rebelo, ministro do Esporte, nunca escondeu sua torcida pelo Palmeiras. Durante o lançamento das seis cidades-sede para a Copa das Confederações de 2013, o político repudiou a atual relação complicada entre jogadores alviverdes e parte da torcida, que têm ameaçado atletas do atual elenco, cada vez mais próximo do rebaixamento à Série B.

“Todos condenamos e achamos que é injustificável e inadmissível a ameaça de qualquer torcida contra jogadores de clube de futebol. Isso não cabe. Perder e ganhar, subir e descer não é só do futebol, mas também da vida. E essa demonstração de ameaça, para qualquer outro clube, contra jogadores profissionais são inaceitáveis”, decretou Rebelo.

Depois do empate com o Botafogo, os muros do Palestra Itália forma pichados com ameaças de morte ao presidente Arnaldo Tirone. Os jogadores também estão preocupados com a reação da torcida, que já entrou em confronto com a polícia em Araraquara, quando a partida diante dos cariocas ainda estava em andamento. Barcos, principal jogador da equipe, cogitou ir embora, se tiver que “andar com carro blindado e segurança”.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Ministro dos Esportes, Aldo Rebelo repudiou a atual situação complicada entre o Palmeiras e a sua torcida
“A história de um grande clube às vezes passa por momentos de glórias e de tragédias”, sintetizou o político. O palmeirense pode sentir isso em quatro meses: depois do título da Copa do Brasil e a ida para a próxima Libertadores, o Verdão pode ser rebaixado à segunda divisão nacional já neste domingo, quando enfrenta o líder Fluminense, com três rodadas de antecedência.

Enquanto a queda não é consumada (o Palmeiras tem sete pontos de desvantagem para Bahia e Portuguesa, primeiras equipes acima da zona de rebaixamento, com 12 em disputa), Rebelo aproveita para cutucar os outros clubes do País. “Ainda faltam quatro rodadas para ter um novo campeão nacional, e o atual é exatamente o Palmeiras”, acrescentou.

Mesmo que a situação alviverde seja muito delicada, Aldo Rebelo acredita na possibilidade de o Palmeiras se salvar da degola. “Ainda esperamos superar as dificuldades e ficar na Série A, mas nenhuma violência se justifica nesta situação”, encerrou. Para realizar o desejo do ministro, Gilson Kleina considera que o Palmeiras precisa vencer suas quatro últimas partidas no Brasileirão.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade