Futebol/Bastidores - ( )

Pescarmona e Décio Perin podem unir candidaturas no Palmeiras

Luiz Ricardo Fini São Paulo (SP)

Dois pré-candidatos à presidência do Palmeiras cogitam uma união para a eleição do dia 21 de janeiro. Wlademir Pescarmona e Décio Perin ainda mantêm discursos de chapas próprias, mas admitem a possibilidade de se integrarem na disputa pelo cargo máximo do Verdão.

“Tenho uma afinidade muito grande com o Décio e quem sabe nós possamos chegar a um acordo. Desde maio que tenho a intenção de ser candidato, mas nosso colégio é difícil, formado por grupos. Continuo firme e forte, e vamos ver o que vai acontecer”, afirmou Pescarmona, em contato por telefone com a GE.net.

O conselheiro, que já foi diretor de futebol na época em que Salvador Hugo Palaia substituiu Luiz Gonzaga Belluzzo na presidência, no fim de 2010, é o candidato do grupo político conhecido como União Verde e Branca.

Já Décio Perin faz parte de outra composição, mas tenta agregar o máximo de adeptos possível, pois alega que, atualmente, o Conselho Deliberativo está bastante fragmentado, diferentemente de outros anos, quando havia apenas duas ou três vertentes políticas.

“Nosso grupo está aberto a receber quaisquer pessoas que concordem com a profissionalização de algumas áreas, a reforma do Estatuto e o estabelecimento de hierarquia no comando dos departamentos. O grupo do Pescarmona também está batalhando por isso. Assim, foi aberta essa possibilidade de fazermos uma junção. Não está decidido, mas existe a chance”, ponderou.

Inicialmente, apenas três pessoas manifestaram o interesse pelo cargo. Além de Perin e Pescarmona, Paulo Nobre surgiu como candidato. Porém, em meio ao processo eleitoral, Sérgio Moyses e Sérgio Pellegrini também lançaram seus nomes ao cargo. Já o atual presidente, Arnaldo Tirone, ainda não confirmou se tentará a reeleição.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade