Futebol/Bastidores - ( )

Tirone rebate ex-gerente e avisa: “Nunca deixei de ter pulso”

Luiz Ricardo Fini São Paulo (SP)

O rebaixamento do Palmeiras à Série B do Campeonato Brasileiro motivou o ex-gerente Sérgio do Prado a criticar publicamente o presidente Arnaldo Tirone. No entanto, o mandatário alviverde se mostrou surpreso por ter sido contestado pelo ex-dirigente e ainda rebateu as declarações.

“O Palmeiras não deve nada para ele, que pode ter criticado como torcedor, mas sabe que eu o segurei também por muito tempo, mesmo existindo um abaixo-assinado de 80 conselheiros contra ele. Fui amigo dele, assim como o Frizzo também. Mas fiz uma mudança natural por causa da necessidade. Não sei por que está criticando, deve estar magoado com alguma coisa, mas não fiz nada por traz dele”, afirmou o presidente.

Ex-gerente aponta culpados: Felipão, Galeano e “sem noção” Tirone

Sérgio do Prado alega que Tirone delegava muitas funções a Luiz Felipe Scolari, deixando o ex-treinador palmeirense com muitos poderes. Durante sua gestão, o presidente sofreu frequentemente críticas nos bastidores em função de seu estilo aparentemente mais brando.

No entanto, o mandatário explica que sempre teve confiança em dividir as tarefas no Verdão com os demais integrantes da diretoria, advertindo que nunca deixou de cumprir sua obrigação no Palestra Itália.

“Minha diretoria tinha autonomia para fazer o que era necessário, deleguei para pessoas que considero capacitadas e profissionais. E o resultado veio, porque o Palmeiras tem hoje uma administração mais organizada e equilibrada, com as contas em dia. Isso é fruto do trabalho da diretoria comprometida. E o presidente nunca deixou de ter pulso”, completou o dirigente, na semana em que o Verdão teve decretado matematicamente seu rebaixamento.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Arnaldo Tirone alega que segurou Sérgio do Prado no cargo mesmo sofrendo pressão de conselheiros

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade