Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Sem receber há dois meses, jogadores do Paraná decidem não treinar

Curitiba (PR)

Em situação tranquila na Série B, o elenco do Paraná se rebelou contra os dois meses de salários atrasados e, desde terça-feira, decidiram não mais treinar. A decisão foi tomada para mobilizar a diretoria, que alega já ter condições de pagar os vencimentos de setembro – para outubro o montante ainda está sendo viabilizado.

“Faltam dez dias para acabar o campeonato e a maioria dos atletas tem contrato até 30 de novembro. Hoje, o Paraná está em situação bem complicada financeiramente”, lamentou o experiente lateral esquerdo Fernandinho, que representou o elenco em entrevista para a TV Globo.

Restando dois jogos para o final da Série B, a diretoria do time paranista apelou até para ajuda pública. Colocou à venda 50% de o zagueiro Alex Alves, o goleiro Luiz Carlos, além dos meias Marquinhos e Luisinho, em 25 cotas de 2% destes atletas. O quarteto é visto como parte importante para o elenco que os paranaenses desejam montar, de olho em 2013.

Comandante da equipe, Toninho Cecílio tentou contemporizar, mas acabou apoiando a decisão de seus jogadores. “A gente tem o papel de buscar soluções com a diretoria, mas os atletas têm família e eles precisam daquilo que foi acordado anteriormente”, discorreu o treinador.

Apesar da greve nos treinos, os jogadores não cogitam faltar na partida desta sexta-feira, contra o ASA, de Arapiraca, no Durival de Britto, às 21 horas (de Brasília). O time paranista é o décimo colocado e não tem nem chances de ser rebaixado à terceira divisão, nem de conquistar o acesso à elite do futebol nacional.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade