Futebol/Mercado - ( - Atualizado )

“Focado” no Santos, Arouca diz desconhecer interesse do Atlético-MG

Do correspondente Rodrigo Martins Santos (SP)

Peça fundamental no esquema tático do técnico Muricy Ramalho, o volante Arouca rechaçou as informações de que poderia trocar o Santos pelo Atlético-MG, na próxima temporada. Segundo o meio-campista, nenhum dirigente do Galo entrou em contato com ele ou com o seu procurador, para abrir negociações nesse sentido. Desta forma, Arouca acredita que irá permanecer na Vila Belmiro em 2013.

“É até difícil eu falar sobre isso, pois foi algo que fiquei sabendo apenas pela imprensa. O que eu posso dizer, no momento, é que o Atlético-MG não me procurou e o Santos não me passou nada a respeito. Tenho contrato até (agosto de) 2014 e o meu foco total está no Santos”, disse o volante, que neste segundo semestre foi constantemente lembrado pelo técnico Mano Menezes, nas convocações para a Seleção Brasileira.

A cúpula santista, por sua vez, garante não ter recebido nenhuma proposta do Galo, vice-líder do atual Campeonato Brasileiro, visando contar com Arouca em seu elenco no ano que vem..

Divulgação/Santos FC
Arouca durante treino do Santos nesta quarta; volante negou que tenha sido procurado pelo Atlético-MG
Sem uma confirmação do interesse do Atlético-MG no seu futebol, o jogador fez uma análise pessoal da temporada e do rendimento do Peixe do ano, garantindo que o seu pensamento está voltado para ajudar a equipe a conquistar mais títulos em 2013. O Brasileirão deve ser uma das prioridades do ano, pois, assim como a Copa do Brasil, garante vaga para a Copa Libertadores da América do ano seguinte.

“Acredito que foi um ano positivo, com mais dois títulos pelo Santos. Desde 2010 é assim, nós temos conseguido manter essa média. Para mim, chegar a Seleção foi um objetivo atingido e, no ano que vem, espero me manter lá e ter mais oportunidades. Mas, no Santos, sei que ficamos devendo o título da Libertadores, que a gente tanto queria e lutou para conseguir. Porém, vamos nos preparar e entrar fortes para o próximo ano. O saldo foi positivo, mas sempre pode ser melhor. Também queremos o título brasileiro, que falta no currículo”, concluiu.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade