Futebol/Mercado - ( - Atualizado )

Muricy aprova e Santos pode procurar Ronaldinho Gaúcho em janeiro

Gabriel Carneiro, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

Com a intenção de ter no plantel algum jogador que possa dividir responsabilidades com Neymar, o Santos deve esperar até janeiro para abrir negociações com Ronaldinho Gaúcho, atualmente no Atlético-MG. Aprovado pelo técnico Muricy Ramalho, o jogador já teria entrado em contato com amigos de dentro da equipe paulista para conversar a respeito do ambiente e das condições de trabalho.

Ciente da consulta informal de Ronaldinho, o presidente Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro trabalha com a possibilidade de buscar o meia de 32 anos em 2013, mas garante que no momento não há conversas. De acordo com o mandatário santista, não haverá “jogo sujo” para tirá-lo do Atlético-MG, com quem possui contrato até dezembro. Se não houver renovação contratual com os mineiros, aí o Peixe põe o time em campo.

Bruno Cantini/CAM
O Santos vai esperar o fim das negociações de Ronaldinho com o Atlético-MG para agir
“Não tivemos contato com o atleta, mas tive informações de que ele teria manifestado o interesse em jogar no Santos. A questão é que eu não jogo sujo, e enquanto estiver sob contrato eu não procuro. Depois disso, é uma porta aberta. Eu fico feliz por ele ter manifestado esse interesse, mas não tive contato e nem ninguém do Santos”, revelou Laor, homenageado nesta segunda-feira pela Soccerex, entidade de negócios do futebol, como um líder ‘ousado’.

Se o presidente do Santos não tem pressa para resolver o caso, o técnico Muricy Ramalho não esconde que a possibilidade de contar com Ronaldinho Gaúcho no elenco em 2013 é encantadora. Em busca de ‘nomes pesados’ para a temporada, o comandante santista vê o jogador como substituto ideal de Ganso para vestir a camisa 10 e se tornar o principal articulador de jogadas da equipe.

“Contra o Vasco (empate por 1 a 1, neste domingo), ele fez o papel de camisa 10. Ele está fazendo esse papel perfeito, do homem de ligação, que pensa o jogo. Se você olhar no mercado, é difícil ter um nome desses, porque a maioria está empregado, fora do País. No Santos temos muitos carregadores de bola, mas não tem cara que pensa o jogo. Vamos tentar sim. Seria um grande nome, só de lembrar está bom”, garantiu Muricy, otimista pelo reforço do atual camisa 49 do Atlético-MG.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade