Futebol/Campeonato Brasileiro Série A - ( - Atualizado )

Muricy vê problema pessoal de Neymar com juiz e critica intimidação

Do correspondente Rodrigo Martins Santos (SP)

A revelação feita pelo atacante Neymar, de que havia sido intimidado a não simular faltas por um árbitro durante um jogo do Santos no atual Campeonato Brasileiro, repercutiu durante a entrevista coletiva do técnico Muricy Ramalho, nesta sexta-feira, no CT Rei Pelé. O treinador tentou se esquivar sobre o assunto, alegando que era uma questão pessoal da Joia com o juiz – que não foi revelado pelo camisa 11 do Peixe –, mas não deixou de criticar a arbitragem nessa situação.

“É algo pessoal do Neymar com a arbitragem, mas, com certeza, não deve ter esse tipo de diálogo. O árbitro não está em campo para ter diálogo com jogador. Ele está lá para apitar e pronto”, opinou Muricy, indo na contramão, até mesmo, do que havia sido dito pela Joia, que havia pedido um diálogo maior entre atletas e juízes de futebol.

Sobre o desempenho da arbitragem no Brasileirão, o comandante santista adotou um tom ameno em suas declarações, evitando questionar de maneira incisiva o desempenho dos juízes da Série A.

“Não tem muito para falar porque hoje só se fala sobre isso. Esquecemos de falar de futebol, apenas se fala de arbitragem. Às vezes, com toda essa facilidade de imagens (por vários ângulos), é difícil você criticar alguém, porque o árbitro tem segundos para resolver. Ainda mais na velocidade que o futebol atual é disputado. É algo que induz ao erro mesmo”, concluiu.

A atual edição do Brasileiro tem sido cercada por várias polêmicas envolvendo arbitragem. A mais recente ocorreu na vitória do Internacional-RS sobre o Palmeiras, por 2 a 1, no último sábado, no Beira-Rio. Na ocasião, um gol anulado do centroavante do Verdão, o argentino Barcos, gerou grande polêmica, tendo em vista que os palmeirenses pediram a anulação da partida por causa deste lance.

Segundo os palestrinos, a decisão final do árbitro foi tomada com base em uma informação passada pelo delegado do jogo, que teria recebido o auxílio de um repórter e de imagens da televisão. O julgamento do caso será realizado na próxima quinta, no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade