Futebol/Brasileiro Série B - ( - Atualizado )

Luiz completa 300 partidas e Azulão se apega em confiança para subir

São Caetano do Sul (SP)

Terceiro atleta que mais vestiu a camisa do São Caetano na história, atrás apenas de Sílvio Luiz e Dininho, o goleiro Luiz atinge seu jogo de número 300 nesta sexta-feira, quando o São Caetano recebe o Boa Esporte no estádio Anacleto Campanella, pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. Dois pontos atrás do Atlético-PR, o clube do ABC paulista se apega na confiança para conquistar o acesso.

A três partidas do encerramento da Série B, o goleiro de 29 anos não pensa na marca de 300 jogos, mas na necessidade de vencer o time mineiro e assegurar o retorno à elite do futebol nacional após seis temporadas. Substituto natural de Sílvio Luiz, o goleiro campeão paulista de 2004 se orgulha do feito.

“Fico muito feliz em atingir esse número expressivo, porque aqui é minha casa. Meus 300 jogos são uma marca muito expressiva, mas o melhor mesmo seria levar o São Caetano de volta à elite do Brasileirão”, constata Luiz, no Azulão desde junho de 2003.

Para enfrentar o Boa Esporte e completar a festa de Luiz, o São Caetano terá os desfalques de Augusto Recife, suspenso por acúmulo de cartões amarelos, e Marcone, que sofreu pancada no joelho direito e segue como dúvida. Relacionado para o confronto, o atacante Vandinho aguarda uma chance do técnico Aílton Silva para ser titular e voltar a marcar pelo Azulão.

“É matar ou morrer. Se o Aílton me der chance vou dar o máximo para sairmos de campo com os três pontos. Temos que respeitar o Boa, que é uma equipe dedicada e ainda briga contra o rebaixamento, mas dentro do Anacleto temos que impor nosso ritmo e conquistar a vitória a qualquer custo para continuamos na luta pelo acesso”, discursa o atacante.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade