Futebol/Copa Sul-americana - ( - Atualizado )

Ceni desconsidera favoritismo são-paulino: "Tudo começa do zero"

Tossiro Neto São Paulo (SP)

Recém-garantido na próxima edição da Copa Libertadores através do Campeonato Brasileiro, o São Paulo é apontado como favorito na semifinal da Sul-americana, contra a Universidad Católica. Opinião com a qual Rogério Ceni não concorda.

No entendimento do goleiro, o que se alcançou até aqui – como a fácil passagem das quartas de final diante da Universidad de Chile, com vitórias tanto em Santiago (2 a 0) quanto na capital paulista (5 a 0) – ficam para trás a cada fase.

"A gente espera poder eliminar essa outra equipe chilena, mas com calma, vamos jogo por jogo. Retrospecto, infelizmente não entra em campo. Tudo começa do zero", analisa o camisa 1.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Goleiro não se apega ao que foi feito até aqui, como a fácil passagem de fase das quartas para a semifinal
As comparações entre La U e Católica se tornaram inevitáveis desde que se definiu o confronto da semifinal. A primeira foi a campeã da edição passada da Sul-americana e tem a mesma pontuação do líder do Campeonato Chileno. Já o adversário desta quinta-feira ocupa a nona colocação na competição.

"Não sei exatamente qual sistema de jogo vão usar, mas a Católica não joga tão aberta quanto La U. Normalmente, joga com duas linhas de quatro, marca mais e não se lança tanto ao ataque. Acredito em um jogo mais equilibrado, apesar de que, com o incentivo da torcida, devem vir para nosso campo e oferecer espaço para contra-atacarmos", imagina Ceni.

O goleiro fazia parte do elenco que derrotou a Católica na decisão da Libertadores de 1993 – o titular era Zetti. De lá para cá, acumulou novos enfrentamentos contra clubes chilenos, levando vantagem na maioria deles. O que começa nesta quinta-feira é válido por uma competição menor, mas neste momento muito importante.

"Vencer um campeonato internacional dá outra confiança para 2013. A vaga à Libertadores é a mesma com a Sul-americana ou o quarto lugar do Brasileiro, mas um título é sempre algo a mais, tanto para o torcedor quanto para nós. Seria muito bom para o próximo ano", destacou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade