Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Choro de Lucas comove o amigo Neymar e comissão técnica da Seleção

Edoardo Ghirotto, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

A cena do meia Lucas chorando ao atuar pela última vez como jogador do São Paulo no Morumbi, no último domingo, chegou aos amigos e comissão técnica da Seleção Brasileira. Concentrados para a partida contra a Argentina, nesta quarta-feira, os integrantes do plantel canarinho comentaram sobre a situação do jovem atleta tricolor e defenderam a existência de jogadores que ainda priorizam o ‘amor à camisa’ ao dinheiro.

Lucas foi contratado pelo Paris Saint-Germain por R$ 108,3 milhões – a maior venda da história do futebol nacional – e irá se transferir para a França em janeiro de 2013. Na vitória por 2 a 1 sobre o Náutico, na última rodada do Campeonato Brasileiro, o jovem atleta de 20 anos teve o seu nome entoado por mais de 62 mil torcedores e não segurou as lágrimas ao conceder entrevista ainda no gramado.

“O Lucas ainda é um menino e já vivenciou situação que fazem a torcida ter esse sentimento de gratidão por ele. É sempre muito duro quando se interrompe isso. Mas eu não posso nem de longe me queixar do sentimento que os jogadores brasileiros têm com a Seleção. Isso não é uma questão que temos que resolver”, analisou o técnico Mano Menezes.

Relacionado para o primeiro encontro entre Brasil e Argentina no Superclássico das Américas, Lucas ficou de fora do duelo desta quarta-feira, por estar jogando a Copa Sul-americana com o São Paulo. Assim como o meia, o zagueiro Rhodolfo, o armador Jadson e o atacante Luis Fabiano também foram substituídos por outros jogadores nesta nova convocação do time canarinho.

Rubens Chiri/Site Oficial SPFC
Depois de se emocionar com a torcida, Lucas foi amparado nos vestiários pelos companheiros de Tricolor
A distância entre o são-paulino e os atletas que integram o atual plantel da Seleção não impediu Neymar de opinar sobre o modo como o seu amigo encara os últimos dias no Tricolor. “Tem muito jogador que gosta do clube, só que nem todos podem ficar aqui por um bom tempo. Tem jogador que fica um ano, seis meses, mas não porque não gosta de sua equipe. O futebol é assim e, se você não aproveitar as oportunidades, pode deixar o cavalo branco passar”, defendeu o santista.

Mano Menezes também adotou um discurso semelhante ao de Neymar e apoiou os jovens jogadores que desejam se transferir para a Europa. O treinador entende que o futebol sofreu diversas mudanças com o decorrer dos anos e que hoje em dia é praticamente impossível algum atleta passar toda a sua carreira em apenas um clube.

“Eu penso que o futebol está mudado. A sociedade mudou, a imprensa mudou e o futebol é um segmento desta sociedade. Eu convivi com este tipo de situação quando o Cristian e o Elias saíram do Corinthians. Apesar de não serem formados no clube, eles tiveram uma passagem significativa e se identificaram com as cores do time”, concluiu o técnico, que comandará a Seleção às 22 horas (de Brasília) desta quarta-feira, em La Bombonera.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade