Futebol/Copa Sul-americana - ( - Atualizado )

Como no jogo de ida, Ney Franco destaca atuação de goleiro rival

Tossiro Neto São Paulo (SP)

Responsável por evitar goleada no primeiro confronto com o São Paulo, em Santiago, Cristopher Toselli foi mais uma vez o grande destaque da Universidad Católica nesta quarta-feira. O goleiro argentino de 24 anos fez defesas importantes no Morumbi, mas o 0 a 0 não foi suficiente para evitar a queda de sua equipe.

Assim como na semana passada, o técnico são-paulino destacou o desempenho do jovem arqueiro. “Nossa proposta, até o final do jogo, foi buscar a vitória. Criamos possibilidades de gols, e mais uma vez o goleiro fez diferença. Já tinha feito no primeiro jogo”, analisou Ney Franco, não sem comemorar a vaga para a final.

"Foi uma classificação difícil. Por nossa equipe ter jogado muito bem no Chile, passou-se impressão de que teríamos um jogo fácil aqui, mas sabíamos de antemão que seria difícil, pela característica do adversário, que eles segurariam no primeiro tempo e, em determinado momento, dariam uma arriscada", comentou.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Atacantes são-paulinos, como Luis Fabiano, não conseguiram vazar a meta defendida pelo goleiro Toselli
O treinador chegou a temer pela eliminação. Após um primeiro tempo nervoso, o time teve os dois volantes (Wellington e Denilson) pendurados e, nem por isso, deixou de reclamar com veemência do árbitro venezuelano Juan Soto. O nervosismo preocupou e foi motivo de alerta ao fim da etapa.

"Pedimos equilíbrio emocional no relacionamento com a arbitragem e também de posicionamento em campo. Temi porque fomos para o intervalo com os volantes amarelados. Conversamos coletivamente e, depois, individualmente com eles. A palavra no intervalo foi equilíbrio, principalmente emocional", contou.

Apesar da atenção especial ao comportamento de seus jogadores, Ney Franco valorizou a maneira como se deu a classificação. Tal qual nas oitavas de final, o São Paulo passou de fase graças a gol marcado como visitante, em empate por 1 a 1.

"O grau de dificuldade foi grande porque a Católica tem uma marcação forte, em alguns momentos até desleal. O importante é que a gente passou. Soubemos levar vantagem do regulamento, como contra a LDU de Loja", concluiu.

O adversário na decisão será definido apenas nesta quinta-feira. Na outra semifinal, Millonarios-COL e Tigre-ARG voltam a se enfrentar depois de empate sem gol no confronto da Argentina. Caso passem os colombianos, os brasileiros terão que fazer a partida de volta fora de casa.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade