Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Cunha cobra “choque de gestão” no CT de Cotia após René Simões sair

São Paulo (SP)

Fora do departamento de futebol do São Paulo, o médico e vereador Marco Aurélio Cunha não se inibe para fazer críticas a um dos xodós da administração do presidente Juvenal Juvêncio. O ex-superintendente de futebol do clube não poupou críticas ao CT de Cotia, destinado às categorias de base, durante participação no programa Mesa Redonda, da TV Gazeta.

René Simões indicou interferência

“É um lugar que precisa de um oxigenação, de um choque de gestão. Devemos observar melhor algumas coisas. Existem poderes paralelos lá dentro. Por isso, acabamos perdendo um grande profissional como o René Simões”, comentou Cunha, referindo-se ao treinador que deixou recentemente o comando das categorias de base do São Paulo em nome de “princípios que não podem e não devem ser quebrados ou negociados”.

Segundo Cunha, René saiu em função “daquela história de que não está contente, querendo mudanças”. “O problema não é a qualidade dos treinadores de Cotia, que são muito bons. Mas estão acontecendo algumas coisas além do gosto eventual da direção”, afirmou, sem querer entrar em detalhas. “Se falar, serei deselegante.”

Marcelo Ferrelli/Gazeta Press
Marco Aurélio Cunha não conteve as críticas à administração do CT das categorias de base do São Paulo
Nem mesmo a revelação de jogadores como o meia-atacante Lucas, já vendido ao francês Paris Saint-Germain, minimizaram o tom crítico de Marco Aurélio Cunha. “Cotia também deve dar resultado com atletas menos conhecidos. Pela qualidade das instalações, precisamos de mais. Não podemos nos satisfazer em revelar um ou dois jogadores. Devemos ter vinte que tragam dividendos ao clube. O São Paulo tem condições, pois é escolhido pelas pessoas”, defendeu.

O discurso do vereador é de alguém que tem pretensões de comandar o São Paulo no futuro. “Mas ainda é cedo para falar de eleição presidencial. O pleito só será em abril de 2014. Temos bons nomes, e eu sou um deles. Não sei quem o presidente vai escolher para sucedê-lo, mas me sinto absolutamente pronto para ajudar o clube em qualquer setor”, avisou Cunha.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade