Futebol/Copa Sul-americana - ( - Atualizado )

Ney Franco avalia empate como decorrência de "infelicidade" ofensiva

Santiago (Chile)

Não fossem as chances desperdiçadas principalmente por Osvaldo, o São Paulo poderia ter saído de Santiago com resultado melhor do que o 1 a 1 conquistado diante da Universidad Católica, nesta quinta-feira. Sem citar o jogador, o técnico Ney Franco reconheceu que o ataque não esteve em uma noite feliz.

"Procuramos o gol o tempo todo. Em momento nenhum, nossa equipe relaxou durante o jogo. Criamos oportunidades, mas fomos infelizes em alguns momentos na hora de finalizar. Em outros, o goleiro foi muito bem, fazendo defesas que devem ser levadas em consideração também", analisou o treinador.

"Jogar aqui é muito difícil, a equipe deles marca muito forte. Mas nossa qualidade prevaleceu, fizemos a equipe deles correr, enquanto tivemos posse de bola e alto índice de passes certos. Criamos e conseguimos entrar na defesa deles. Por essas circunstâncias, saímos com o sentimento de que poderíamos ter conquistado resultado melhor", acrescentou.

Osvaldo perdeu gols tanto na primeira quanto na segunda etapa, depois de o zagueiro Rafael Toloi ter inaugurado o placar. Em todos os lances criados, o atacante se desvencilhou bem da zaga, mas não conseguiu tirar a bola do alcance do goleiro Toselli. Detalhe que custaria a vitória.

Aos 24 minutos dos segundo tempo, o zagueiro Rhodolfo fez corte apenas parcial dentro da área e viu Castillo aproveitar a sobra para chutar alto e vazar Rogério Ceni. Com o empate, o São Paulo joga por 0 a 0 ou vitória simples, na quarta-feira que vem, no Morumbi, para ir à final.

"Vamos antes planejar esse jogo de domingo, contra a Ponte Preta, pelo Campeonato Brasileiro, esperando ter todos os jogadores disponíveis na quarta-feira para confirmar a classificação", falou Ney Franco, que, juntamente com o restante da delegação, volta ao Brasil nesta sexta.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade