Futebol/Bastidores - ( )

Marin aprova Kaká e revela: jogadores pedem vaga na Seleção

Gabriel Carneiro, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

“Alguns jogadores se manifestam a mim com o objetivo de se integrarem à Seleção Brasileira. É comum, mas quem decide tudo é o Mano”, revelou nesta terça-feira, em visita à Federação Paulista de Futebol, José Maria Marin, presidente da CBF desde março. Aberto aos atletas que sonham com a disputa da Copa do Mundo de 2014 e também à imprensa, o mandatário da entidade que rege o futebol nacional aprovou ‘com méritos’ a convocação de Kaká para os últimos dois amistosos da equipe na Europa.

Após um ano de ausência em convocações, Kaká foi lembrado por Mano Menezes para amistosos contra Iraque e Japão, no início de outubro. Mesmo ocupando a reserva no Real Madrid, o meio-campista teve atuação de destaque ao lado de Oscar e praticamente selou sua manutenção entre os titulares para a Copa das Confederações de 2013 e, em caso de sequência positiva, para a Copa do Mundo de 2014, realizada em território brasileiro.

“Não queremos ninguém que jogue na Seleção por obrigação, queremos jogadores comprometidos com um grupo que já formado, como o Kaká, que demonstrou estar dessa forma. Hoje não estamos em transição, estamos ambicionando um objetivo maior que é a Copa das Confederações e a Copa do Mundo, oportunidades de corresponder às expectativas do povo brasileiro”, contou José Maria Marin após o lançamento da bola que será utilizada no Campeonato Paulista de 2013.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Ao lado de Marco Polo Del Nero, da FPF, Marin acha que o grupo da Seleção está sendo formado na hora certa
Sem duvidar do trabalho de Mano Menezes no comando da Seleção Brasileira, Marin abriu as portas para jogadores que integrem o grupo já formado para 2014, esperando que haja poucas alterações em relação às listas de convocados deste ano. Além da Seleção, o atual presidente da CBF teve que lidar com dúvidas a respeito do calendário do futebol nacional para os duas próximas temporadas, ‘apertadas’ pelas competições internacionais.

“Você olha esse Campeonato Brasileiro e ele tem emoções em cima e embaixo, preenchendo o que interessa ao torcedor, isso que vale. Poderíamos ter um calendário como o europeu, mas a Europa inteira cabe no Brasil e isso é impossível pela grandeza territorial do País”, comentou Marin. De acordo com Virgílio Elísio, diretor de competições da CBF, alterações são estudadas para o período após a Copa de 2014.

Calendário do futebol nacional pode mudar após 2014

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade