Futebol/Seleção Brasileira - ( )

Ralf garante que foco no Timão é maior que desejo de ir à Seleção

Edoardo Ghirotto, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

A convocação de Mano Menezes para o Superclássico das Américas, em 21 de novembro, no estádio La Bombonera, deixou o técnico Tite insatisfeito e garantiu a Ralf, Paulinho e Fábio Santos a oportunidade de vestir a camisa da Seleção em mais um duelo. Enquanto atletas de outros clubes se diziam surpreendidos e comemoravam a ida ao time canarinho, o sisudo volante corintiano disse que a sua presença na equipe não irá interferir em nada na preparação do Timão para o Mundial.

“Eu fiquei muito feliz com mais uma convocação. Mas é claro que eu estou focado no Corinthians e estou mais preocupado com os jogos que nós teremos pela frente. Não que eu não queira jogar pela Seleção. Eu só não estou concentrado nisso”, declarou o atleta, que segue trabalhando entre os titulares alvinegros nesta reta final de Brasileiro.

Ao receber o Troféu Fair Play da Copa Libertadores, na última terça-feira, Ralf também mostrou compreensão com a situação de Tite e entendeu a indignação de seu comandante com a CBF. O técnico havia pedido para que os atletas alvinegros não reforçassem a Seleção neste duelo e permanecessem em São Paulo para intensificar a preparação do clube antes da estreia no Mundial de Clubes da Fifa, em 12 dezembro, no Japão.

Sem ter o seu pedido atendido pela entidade, o treinador será obrigado a ceder os atletas e torcer para que nenhum problema venha a prejudicar o time cotado para o torneio internacional. “Creio que o Tite estava preocupado porque são jogadores de suma importância. Tem o risco de contusão, mas no Corinthians nós também sofreríamos com essa preocupação. A gente tem consciência de que a preparação é importante e a indignação dele é válida por esse lado”, defendeu o volante.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Ralf disse não ter ficado surpreso com a sua convocação para a Seleção e entendeu a insatisfação do técnico Tite
Com mais uma participação assegurada na Seleção que enfrentará a Argentina no Superclássico, Ralf também projetou o seu futuro no time canarinho e disse que a competição por uma vaga no meio-campo segue em aberto. Mesmo cotado para ser titular ao lado do companheiro Paulinho, o volante procurou valorizar os demais relacionados e se negou a enxergar qualquer favoritismo em futuras convocações para o time de Mano Menezes.

“Eu não tenho vantagem nenhuma. Eu só vou seguir na Seleção se eu continuar fazendo o meu papel no Corinthians. Vou ter que fazer valer a pena e irei disputar o meu lugar com lealdade”, concluiu. Além de Ralf, o técnico Mano Menezes convocou outros 18 jogadores que atuam no futebol nacional e tem a seu favor a vantagem de ter vencido o primeiro jogo por 2 a 1, no Serra Dourada. Já o treinador Alejandro Sabella, da Argentina, deverá causar mais incômodos para Tite, uma vez que o atacante Martínez também é presença praticamente certa em sua equipe.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade