Futebol/Bastidores - ( )

Sanchez não entrega o cargo, mas diz aprovar Raí como seu substituto

São Paulo (SP)

Andrés Sanchez garante que não deixará o cargo de diretor de Seleções da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) mesmo após a demissão de Mano Menezes. Ainda assim, aprovou um dos especulados para substituí-lo: o ex-jogador Raí, indicado ao posto pelo deputado federal Romário.

“Eu não saí da direção ainda. Nem me tiraram. Mas, se escolherem o Raí, estará muito bem escolhido”, afirmou Sanchez, durante participação no programa Meda Redonda, da TV Gazeta, no domingo.

Alçado a dirigente da CBF por Ricardo Teixeira, Andrés Sanchez perdeu espaço depois que José Maria Marin assumiu o comando da entidade. Mano Menezes, por exemplo, foi demitido contra a sua vontade.

“Mas eu não sairia neste momento. Tenho outras atribuições além da Seleção Brasileira principal. Não vou deixar o Brasil na mão”, bradou o ex-presidente do Corinthians.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Andrés Sanchez garantiu que não sairá da diretoria de Seleções da CBF - pelo menos por vontade própria

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade