Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Sport lembra acesso de 2011 e Sérgio Guedes confia: “Seguimos vivos”

Recife (PE)

Sérgio Guedes ainda nem pensava em assumir o comando do Sport no dia 26 de novembro de 2011, quando o time pernambucano venceu o Vila Nova no estádio Serra Dourada e assegurou a última vaga disponível na Série A do Campeonato Brasileiro. Brigando contra o retorno para a segunda divisão no primeiro ano após o acesso, o volante improvisado Moacir prometeu dedicação na última rodada, mesmo abalado após o empate por 1 a 1 diante do campeão Fluminense, neste domingo.

“Esse empate abalou o grupo, não tem jeito, até pelo resultado da Portuguesa (concorrente contra o rebaixamento, venceu o Inter por 2 a 0, no Beira-Rio). Nessas horas o raciocínio fica lento, a gente não sabe muito o que dizer, mas o torcedor tem que acreditar até o final. No ano passado foi assim e o Sport conseguiu o acesso”, relembrou Moacir, que não esteve em campo na partida decisiva de 2011, mas participa da tentativa de salvação nas rodadas finais do Brasileirão.

Apesar do otimismo, a situação do Leão da Ilha do Retiro é preocupante. Com 41 pontos, a equipe tem três a menos que Bahia e Portuguesa, primeiros clubes à sua frente na tabela de classificação e fora da zona de rebaixamento. Em caso de vitória no clássico contra o Náutico, no próximo domingo, o time do técnico Sérgio Guedes seca os dois adversários, que precisam perder para manterem o Leão vivo.

“Acho um resultado muito injusto, mas minha opinião muda muito pouco após um resultado concretizado. Estou satisfeito pelo que vi contra o Fluminense e esperando uma semana boa. Vivos nós vamos para a próxima partida, mais do que nunca. Quando você se propõe a fazer parte do jogo e tira da alma algo que estava faltando, precisa dar méritos a quem acreditou”, contou Sérgio Guedes, inconformado pelo empate que deixou o Sport em situação praticamente irreversível.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade