Vôlei/Superliga feminina - ( - Atualizado )

Aperto de mão e explosão marcam duelo de Zé Roberto e Bernardinho

André Sender Campinas (SP)

Os dois mais vitoriosos treinadores do vôlei nacional, José Roberto Guimarães e Bernardinho, se encontraram pela primeira vez como adversários na Superliga feminina, nesta terça-feira. No confronto entre o Vôlei Amil, de Zé Roberto, e a Unilever, de Bernardinho, os técnicos, desafetos declarados, se cumprimentaram secamente antes da partida e, apesar de ostentarem estilosos opostos ao lado da quadra, tiveram momentos de explosão.

A partida foi vencida pela Unilever por 3 sets a 1, parciais de 25/23, 25/21, 20/25 e 25/15. A equipe carioca soma duas vitórias em duas partidas pela Superliga feminina e tem como próximo adversário o Pinheiros, na próxima sexta-feira. No mesmo dia, o Amil, que tem um resultado positivo e um negativo na competição, pega o Rio do Sul.

Brigados desde os Jogos Olímpicos de Atenas-2004, Bernardinho e Zé Roberto trocaram um aperto de mãos antes do jogo. O comandante do time de Campinas abaixou a cabeça na hora de cumprimentar o adversário e saudou os outros membros da comissão técnica carioca com mais entusiasmo, em alguns casos dando amistosos tapas no braço ou nas costas dos representantes da Unilever.

Ao lado da quadra, os treinadores campeões olímpicos demonstraram estilos diferentes para orientar e motivar suas atletas, mas ambos tiveram momentos de explosão. Bernardinho, célebre pelo nervosismo durante as partidas, manteve a calma na maioria do primeiro set. Com seu time à frente do marcador desde o início da parcial, o carioca só demonstrou irritação quando a equipe adversária esboçou reação. Mas aí não faltaram gritos e tapas nada amistosos na própria perna.

Já Zé Roberto se manifestou de maneira mais contida, mesmo com seu time atrás no placar. Em vez de broncas e gritos, olhares de desaprovação para o chão, chutes no ar e coçadas na cabeça demonstravam a insatisfação do treinador, comandante também da Seleção Brasileira feminina.

Ao fim da primeira parcial, vencida pela Unilever, as equipes trocaram de lado no banco de reservas. Os treinadores quase trombaram um no outro, mas não cruzaram olhares.

No segundo set, Zé Roberto perdeu a calma pela primeira vez. Mas com a arbitragem. Após o árbitro apontar toque na rede de uma jogadora do Amil em lance tumultuado, o comandante do time campineiro ficou visivelmente irritado. Entre reclamações e xingamentos, levou uma advertência do juiz principal.

Ao fim da parcial, vencida com mais tranquilidade pela Unilever, nova troca de lados na quadra e nos bancos sem os treinadores cruzarem olhares.

O terceiro set de partida começou com domínio do Amil. Empurrado pela torcida, o time campineiro abriu pequena vantagem no placar, o que irritou Bernardinho, mas o confronto voltou a ganhar equilíbrio após aumento de rendimento da Unilever. A calma de Zé Roberto, mantida até então, foi embora após outra marcação da arbitragem que o deixou descontente. Mas ao final da parcial, quem comemorou foi o paulista com o primeiro set vencido por seu time.

A parcial conquistada pelo Amil deixou a partida tensa e afetou o comportamento de Zé Roberto. Antes calmo, o treinador passou a vibrar com os acertos e reclamar dos erros de sua comandadas, mas só até a Unilver desgarrar no marcador. Bernardinho manteve sua rotina de passos acelerados ao lado da quadra e gritos ao fim de cada ponto até celebrar o segundo triunfo de seu time na Superliga.

Após a definição da partida, um novo aperto de mão frio entre os treinadores selou o primeiro duelo entre os principais nomes do vôlei nacional.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Após rusgas no passado, Bernardinho e Zé Roberto Guimarães se cumprimentam de forma protocolar

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade