Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Dirigente do América-MG explica parceria com Eduardo Uram

Do correspondente Wanderson Lima Belo Horizonte (MG)

O América-MG anunciou na última quinta-feira, um pacotão de reforços para a próxima temporada, mas o fato que chamou à atenção é que a maior parte dos oitos jogadores anunciados pelo Coelho pertence ao empresário Eduardo Uram, que firmou uma espécie de parceria com o time mineiro. Homem forte do futebol americano, Marcus Salum, explicou quais são os objetivos do Coelho ao se associar com o empresário e com a Brazil Soccer.

“O América-MG é muito transparente nas coisas que faz. O que temos com a Brazil Soccer não é uma parceria do tipo só contratar jogador deles, com eles tendo preferência no América-MG. Não é isso. Depois muito tempo sem fazer parceria com empresários eu entendi que o mundo do futebol está mudando e está muito difícil de trabalhar sozinho e sem parceiros. Em uma reunião longa com o Eduardo Uram, coloquei para ele quais os objetivos do América-MG e como ele poderia nos ajudar. Ficou decidido que os jogadores deles que estão no mercado, se interessarem ao América-MG, teremos prioridade para contratar”, disse.

Salum argumenta que o clube pode contratar jogadores de qualquer empresário não ficando restritos aos atletas ligados a Eduardo Uram. “O América-MG contrata o jogador que quiser, na hora que quiser, e vendemos e compramos os jogadores que quisermos. Precisamos ter atrás do América-MG um potencial de contratação acima do América-MG, assim como o BMG faz com outros clubes e, também, com o América-MG”, explicou.

Sem recursos em caixa, Salum deu exemplos do acordo feito com Eduardo Uram. “O Wanderson é um jogador que nunca foi do Eduardo Uram ou da Brazil Soccer e o América-MG o queria. O Eduardo foi lá, contratou o Wanderson e emprestou ao América-MG. O Edmário e o Juninho também não eram do Eduardo Uram, ele foi lá e contratou os jogadores que estão vindo para o América-MG. Temos que ser sinceros. Hoje não temos este potencial de ir lá e comprar. Hoje não temos, mas ainda teremos”, afirmou.

Em uma futura negociação dos atletas envolvidos na parceria, o Coelho receberia uma porcentagem a título de taxa de vitrine. “Temos direito a receber uma taxa de vitrine dos jogadores que estão aqui emprestados em caso de venda futura. Qualquer jogador que ele trouxer, de qualquer time, o América-MG tem um percentual no caso de venda. O América-MG tem a garantia que essa parceria não é para colocar o jogador para valorizar e tirar na hora que o clube mais precisar. Essa parceria é para ajudar o América-MG a subir à Série A, como já aconteceu com muitos clubes. É tudo muito transparente”, concluiu.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade