Atletismo/São Silvestre - ( - Atualizado )

Corintianos ampliam festa pelo Mundial na São Silvestre

Marcos Guedes São Paulo (SP)

Não estava difícil achar um corintiano entre os participantes da Corrida Internacional de São Silvestre. Na multidão que se preparava para os 15 km de percurso, bastava um giro para observar várias camisas e bandeiras alvinegras.

Tinha até um sósia do goleiro Cássio, devidamente uniformizado com a camisa amarela do gigante. O clima era de festa pela recente conquista do Mundial de Clubes, com várias referências à terra invadida pela Fiel, o Japão.

“É tudo nosso”, resumiu o funcionário público Raul Zacarias, de 41 anos, vestido com meiões, calção e a camisa 11 de Emerson Sheik. Ele caminhou em direção ao ponto da largada empunhando a bandeira do Timão e ouvindo um “Vai, Corinthians” atrás do outro.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
O sósia de Cássio viu nos 15 km da São Silvestre um obstáculo maior do que Fernando Torres
Houve também provocações de quem não está tão feliz assim, com a conquista do clube do Parque São Jorge, algo que não incomodou Zacarias. “Não tem o que falar, não. O ano é nosso”, comentou o aposentado, que já tinha corrido de preto e branco em 2011, comemorando o título brasileiro.

Em menor número, era possível observar torcedores de outros clubes – até do Boca Juniors, derrotado pelo Corinthians na final da Copa Libertadores. Um palmeirense orgulhoso, empunhando a sua bandeira, disse que estará mais feliz na próxima São Silvestre.

“Corro assim como uma homenagem à grande nação palmeirense. Vamos ser campeão da Libertadores e bi da Segundona”, prometeu o manobrista Ezequiel Ribeiro de Souza, de 61 anos, respeitosamente ao lado de um amigo corintiano.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade