Fórmula 1/Bastidores - ( - Atualizado )

Com autocrítica, diretor da Williams defende Pastor Maldonado

Grove (Inglaterra)

Pastor Maldonado viveu temporada de altos e baixos na Williams. Apesar de vencer o GP da Espanha e ser competitivo nas sessões de classificação, o venezuelano ficou marcado também pelos acidentes causados e as seguintes punições. Apesar disso, Mike Coughlan, diretor-técnico da equipe, defendeu o piloto e garante que ele disputaria as primeiras posições caso contasse com um carro melhor.

“Passamos por situações difíceis juntos, e ele aprendeu com isso. Mas não é do nosso estilo apontar o dedo a alguém. Ganhamos como equipe e perdemos como equipe”, afirma Couhglan, em entrevista à revista Speed Week.

Com 45 pontos somados na temporada, Maldonado quebrou jejum de vitórias de sete anos e meio da Williams. Considerando o venezuelano um dos principais da categoria, o dirigente acredita que o desempenho de seu piloto poderia render mais caso tivesse um carro melhor à disposição.

“Posso concordar que, se tivéssemos um carro melhor ele não estaria lutando no meio do grid com tanta frequência”, completa o dirigente. Apesar disso, Couhglan elogia a evolução em relação a 2011, quando somou apenas cinco pontos, 71 a menos que neste ano.

“A vantagem maior foi o motor Renault: rápido, potente e confiável. Pudemos nos concentrar completamente no desenvolvimento aerodinâmico e fomos recompensados”, conclui.

AFP
Vitória no GP da Espanha foi o ponto alto de Pastor Maldonado e da Williams na temporada

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade