Futebol/Bastidores - ( )

Com títulos e convocação, Arouca avalia 2012 e projeta renovação

Do correspondente Rodrigo Martins Santos (SP)

Se o Santos encerrou a temporada 2012 com a sensação de que poderia ter obtido melhores resultados no seu centenário, apesar das conquistas do tricampeonato paulista e da Recopa Sul-americana, o ano pode ser considerado bastante positivo para o volante Arouca.

Um dos principais jogadores da equipe praiana na atualidade, o meio-campista destacou, em entrevista exclusiva à Gazeta Esportiva.net, que teve o seu maior sonho realizado neste ano, com a convocação para a Seleção Brasileira. Arouca recebeu algumas oportunidades de defender o time canarinho com o ex-técnico da Seleção, Mano Menezes, antes de o treinador ser substituído pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) – Luiz Felipe Scolari, o Felipão, é o novo comandante.

O volante, que está desde 2010 na Vila Belmiro, também falou sobre as suas expectativas com relação ao Peixe para a próxima temporada. Além disso, Arouca revelou que, mesmo assediado por outras agremiações, não pretende deixar o Alvinegro Praiano e, ainda por cima, deve negociar a sua renovação contratual com o Santos, quando retornar das férias.

Confira abaixo o bate-papo com o volante Arouca:

Gazeta Esportiva.net: Com o final da temporada, qual avaliação faz do ano do Santos?

Arouca: A avaliação é boa. Ganhamos dois títulos, mantendo a média (de conquistas) que o Santos tem desde 2010. Claro que gostaríamos de ter vencido novamente a Copa Libertadores da América e voltado ao Mundial de Clubes da Fifa, mas não foi possível. No Brasileiro, infelizmente, também não tivemos o desempenho esperado. Queríamos lutar pelo título ou, na pior das hipóteses, classificar para a Libertadores. Só que não foi possível.

GE.net: Por que o time não conseguiu fazer uma boa campanha no Brasileirão e se classificar para a Libertadores 2013?

Arouca: Começamos o Brasileiro quando a Libertadores ainda estava em andamento (mata-mata da competição) e, quando você deixa para depois, é complicado para recuperar lá na frente. Além disso, nós tivemos alguns problemas com a saída de alguns jogadores, lesões e convocações para a Seleção Brasileira. Acredito que tudo isso deixou ainda mais complicada a nossa recuperação. Fora isso, o Campeonato Brasileiro é um torneio com grandes equipes e muito difícil. Como eu disse: correr atrás é sempre mais difícil. E não tivemos a regularidade que desejávamos.

GE.net: No ano que vem, o Santos está fora da Libertadores e irá jogar somente o Paulistão no primeiro semestre. Esse fator aumenta a cobrança para ganhar o título estadual pela quarta vez consecutiva?

Arouca: Acho que quando você joga em time grande sempre tem cobrança, independentemente dos campeonatos em questão. Por isso, no meu modo de ver (a pressão) é a mesma. Mas, seja como for, nós estamos preparados para as cobranças. Durante três anos seguidos conquistamos o Paulistão, algo que só tinha acontecido na época do Pelé (a última vez havia sido na sequência obtida com os títulos de 1967, 1968 e 1969). Porém, espero que em 2013 não seja diferente e possamos conquistar o tetra.

GE.net: Mesmo com seis títulos em três anos, ainda não venceu o Campeonato Brasileiro pelo Santos? É possível afirmar que, até mesmo pela ausência na Libertadores, a Série A terá uma importância maior para o Peixe em 2013?

Arouca: Nunca ficamos totalmente satisfeitos. Queremos sempre melhorar e, como não conseguimos o título da Libertadores, sabemos que precisamos voltar a conquistar campeonatos importantes no ano que vem. E esse elenco ainda não venceu o Brasileirão. É uma competição que nós ainda não vencemos e, sem dúvida, vamos nos dedicar ainda mais no ano que vem para poder ganhá-la.

Ricardo Saibun/Santos FC
Sem pensar em saída, Arouca prevê foco total no título do Campeonato Brasileiro em 2013 para o Santos
GE.net: Falando sobre Seleção Brasileira, a sua convocação demorou um pouco para acontecer, mas você teve algumas oportunidades nesse ano. É possível dizer que foi um sonho realizado? 

Arouca: Sem dúvida. Sempre deixei claro que esse era um dos principais objetivos da minha carreira e trabalhei forte nos treinos e nos jogos, campeonato após campeonato, para ter essa oportunidade. Fiquei muito feliz quando fui chamado pela primeira vez. A alegria foi a mesma nas outras convocações, porque sempre é bom vestir a camisa do seu país.

GE.net: Com a saída de Mano Menezes e a escolha de Luiz Felipe Scolari como o seu substituto, acredita que voltar a Seleção será mais difícil. Por outro lado, já é possível sonhar com uma vaga no grupo que irá disputar a Copa das Confederações e, também, a Copa do Mundo?

Arouca: A chegada do Felipão não aumenta, nem diminui as minhas expectativas. O que vai me levar para a Seleção vai ser o meu desempenho no Santos. Tenho certeza de que ele está observando atentamente quem se encaixa na filosofia de trabalho dele. Quero começar o próximo ano com um rendimento forte, para ser lembrado pelo Felipão. Sobre a Copa, ainda é um pouco cedo. Vamos ter a Copa das Confederações no ano que vem e o meu objetivo é construir a minha trajetória na Seleção, de passo em passo, para eu ser lembrado mais vezes. Preciso mostrar as minhas qualidades para essa nova comissão técnica.

GE.net: Sobre o futuro, ficou sabendo do interesse de Atlético-MG e Milan na sua contratação. Pensa em sair? (Nota da reportagem: Werder Bremen-ALE e Fiorentina-ITA tentaram a sua contratação no meio do ano)

Arouca: Sobre o Atlético-MG só soube pela imprensa mesmo. Ninguém me procurou diretamente, muito menos alguém do Santos chegou para falar comigo sobre isso. Do Milan, a mesma coisa. Em relação a uma transferência para o exterior, eu não me preocupo muito com isso. Estou vestindo a camisa do Santos com muito orgulho e dedicação. Tenho contrato até agosto de 2014 e espero cumpri-lo.

GE.net: Sobre a sua situação contratual, é verdade que o Santos pretende negociar uma renovação contratual?

Arouca: Pelo que o meu empresário (Richard Alda) me passou, é verdade. Não estou muito por dentro, mas ele comentou comigo que a diretoria do Santos queria sentar para conversar sobre essa possibilidade. A negociação (para estabelecer a ampliação do atual vínculo) deve começar em janeiro, quando eu retornar das férias, visando a pré-temporada. Mas só de ele (procurador) ter falado sobre esse interesse por parte do Santos, eu já fico feliz. É algo que me deixa orgulhoso e aumenta a minha auto-estima. Fico satisfeito com esse reconhecimento e espero que dê tudo certo.

GE.net: Depois de três anos no Santos, você consegue avaliar quais razões lhe levaram a boa fase que vive na Vila Belmiro. Quando você se transferiu para o Peixe, depois de uma passagem irregular pelo São Paulo, esperava se tornar um dos principais jogadores do clube?

Arouca: A gente sempre espera desempenhar um bom papel quando vai para um novo time. Como não fui muito feliz no São Paulo, eu vim para o Santos com a mentalidade chegar aqui e mostrar o meu valor, de verdade. Tive mais oportunidades para jogar e me adaptei rápido, tanto ao clube quanto a vida na cidade. O Santos me abriu as portas e essa confiança por parte deles foi super importante para mim. Acho que consegui retribuir com muito trabalho e conquistei vários títulos, o que deixa o seu nome marcado na história do clube. Jogando aqui, cheguei à Seleção. Por isso, eu penso em ficar mais tempo por aqui. Estou muito feliz no Santos.

GE.net: Para encerrar, com o final da temporada, você está de férias. Mas muitos atletas costumam incluir os já famosos “jogos de fim de ano” na programação, mesmo durante o período de descanso. Você pretende participar de algum ou irá apenas descansar durante as férias?

Arouca: Ainda não sei (se estará em alguma partida beneficente). Por enquanto, a minha programação é aproveitar ao máximo a minha família. Até porque, nesse último mês eu viajei bastante com a Seleção. Passei muitos dias na concentração, vários jogos e eu fiquei algum tempo ser ver a minha filha (Valentina) e a minha esposa (Lailane). Depois de viajar (para os Estados Unidos), vou descansar um pouco no Rio de Janeiro. Até porque o próximo ano promete ser ainda mais pesado.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
O título da Recopa Sul-americana foi a segunda conquista do Santos em 2013, após o tri do Paulistão

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade