Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Coxa protesta contra recursos públicos na Arena do Furacão

Do correspondente Luiz Felipe Fagundes Curitiba (PR)

A rivalidade do Atletiba entrou oficialmente na Copa do Mundo de 2014. Em ofício encaminhado às principais autoridades paranaenses, o Coritiba protestou contra a engenharia financeira aprovada para a liberação de recursos para o Atlético-PR completar as obras da Arena da Baixada.

Classificando como ‘imoral e ilegal’, o clube pede ao governador Beto Richa, ao prefeito Luciano Ducci, ao prefeito eleito, Gustavo Fruet, ao presidente da Câmara de Vereadores, João Luiz Cordeiro e ao presidente do Tribunal de Contas do Paraná, conselheiro Fernando Augusto Mello Guimarães, que ‘respeitem as relações entre o público e o privado’.

Segue a íntegra do ofício:

Vimos, por intermédio desta, manifestar o nosso protesto pela falta de transparência, ilegalidade e imoralidade da engenharia financeira da operação que pretende prover de recursos públicos, na forma de financiamento, a obra do estádio do Clube Atlético Paranaense, por intermédio da CAP S/A.

Entendemos que a forma que está sendo realizada tal operação fere os preceitos básicos de conduta das relações entre o público e o privado, revelando, assim, toda a sua ilegitimidade de princípios, em prejuízo às administrações estadual e municipal e, por consequência, a toda população paranaense.

Nossos mais elevados votos de estima e consideração.

Atenciosamente,
Coritiba Foot Ball Club

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade