Futebol/Bastidores - ( )

‘Ídolo’ de torcedores, Barros quer Flu menos dependente de parceira

Rio de Janeiro (RJ)

No ano em que o Fluminense conquistou seu quarto título do Campeonato Brasileiro, alguns torcedores adotaram um ídolo fora dos gramados. Ao lado de Diego Cavalieri e Fred, o presidente da Unimed, Celso Barros, ganhou até música nas arquibancadas e se tornou símbolo da ascensão do Flu. Mas, se depender dele, o Tricolor precisa começar a caminhar com seus próprios pés.

Há treze anos patrocinando o futebol do time das Laranjeiras, a empresa é responsável por bancar os altos salários dos principais jogadores do time, como Thiago Neves e Deco. E os investimentos de Barros ganharam ares de lenda entre a torcida, que chegou a cantar para o argentino Walter Montillo “Celso Barros vai te pegar”, antes de o cruzeirense converter um pênalti no Engenhão, na partida em que o Flu recebeu a taça do Brasileirão.

Em entrevista à Rádio Brasil, o empresário deixou claro sua opinião e espera que a cúpula tricolor tem de se estruturar para manter o clube sem tanto apoio da parceira. “O Fluminense tem de tentar viver não tão dependente do patrocínio, mas quem pode falar melhor sobre esse assunto é a direção do clube, não eu”, afirmou.

Além de deixar um aviso, no entanto, Barros elogiou a iniciativa do presidente Peter Siemsen em reativar o programa de sócio-torcedor nas Laranjeiras. Para ele, o título do Campeonato Brasileiro e a grande torcida do time no País pode alavancar ainda mais as receitas tricolores.

“Ele está fazendo um trabalho interessante, sempre discuti isso com ele, sobre p sócio-torcedor. O Fluminense tem muitos torcedores pelo Brasil afora e, de repente, com um projeto sério e transparente, gostariam de contribuir com seu clube”, destacou o novo ‘ídolo’ da torcida.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade