Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Lucas revela medo de ‘congelar’ em Paris e recebe dicas de Raí

São Paulo (SP)

Esperado na França para ser o herdeiro de Raí com a camisa do Paris Saint-Germain, o garoto Lucas não esconde a ansiedade para se apresentar no novo clube. Apesar da animação, o jogador de 20 anos já teme seu primeiro adversário e recebeu conselhos do ídolo de PSG e São Paulo para combate-lo: o frio.

"Estou me preparando. Parece que pode fazer menos de zero graus. É verdade que podemos congelar?", perguntou o meia-atacante ao ídolo Raí em encontro promovido pelo jornal francês L’Equipe. A resposta do ex-jogador, no entanto, não foi das mais animadoras: “Além do frio, lembro que os gramados eram muito pesados durante boa parte da temporada. É preciso encontrar logo a chuteira certa, e se habituar à altura da grama, à velocidade da bola.”

Depois de assustar seu possível sucessor, Raí tratou de apresentar algumas dicas para Lucas ir se preparando para o sofrimento com as baixas temperaturas. “Tentei de tudo. Papel, jornal na chuteira, cremes. Meu pé congelava e eu perdia uma unha em um choque qualquer. Em geral, eu perdia quatro unhas por inverno. Já joguei com os dedos do pé anestesiados. E lembro de uma sensação horrível: mergulhar os pés congelados na água quente depois do jogo”, relembrou.

AFP
Em cinco temporadas na França, Raí sofreu para se adaptar ao frio europeu e passou dicas a Lucas
Para reanimar o jovem, o Terror do Morumbi falou das emoções que sentiu nas cinco temporadas em que atuou no Parque dos Príncipes e lamentou não ter tido a oportunidade de jogar ao lado do meia no São Paulo e agora no PSG. “Amo profundamente este estádio. O público fica perto do gramado e gosto da arquitetura também. É bom jogar em casa, entrar no gramado e sentir o público, dá muito prazer. Gostaria de estar com você”, afirmou, deixando Lucas ainda mais empolgado.

"Todo mundo diz que Paris é uma das cidades mais lindas do mundo, e estou curioso para descobrir e ver os lugares turísticos com minha família. Mas não venho como turista, venho para fazer história no Paris Saint-Germain”, prometeu o ex-tricolor.

Assim como Lucas, Raí atuou com a camisa são-paulina por alguns meses mesmo já vendido, e aproveitou para destacar outra coincidência causada com a negociação. Em seus dois primeiros anos no PSG, Raí municiou o atacante liberiano George Weah (que depois de trocar o PSG pelo Milan recebeu a Bola de Ouro em 1995), e lembrou que Lucas agora terá a oportunidade de ser o garçom do sueco Zlatan Ibrahimovic.

"Para ele será um privilégio jogar com o Ibrahimovic, e o time é experiente, vai facilitar sua adaptação", apostou o ex-atleta. A parceria com o sueco, artilheiro do Campeonato Francês, também anima o novo reforço: "Sempre é bom atuar ao lado de jogadores deste calibre. Vou aprender muito, com certeza. Espero formar uma bela dupla com ele”, declarou o meia, que tem apresentação marcada para o dia 28 deste mês em Doha, no Catar, onde o clube francês vai realizar a sua inter-temporada.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade