Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

"Mensalinho" da CBF é superior a R$ 50 mil por federação, diz jornal

São Paulo (SP)

José Maria Marin mantém o mesmo esquema do antecessor Ricardo Teixeira para conseguir apoio irrestrito das federações estaduais de futebol no Brasil e trabalhar tranquilamente na presidência da CBF. A acusação é feita pelo jornal O Estado de S. Paulo, que relata um “mensalinho” superior a R$ 50 mil para cada uma das entidades.

De acordo com a publicação, somente o Rio Grande do Sul se recusa a receber a verba mensal fixa, que atingiu R$ 50 mil pouco antes de Teixeira renunciar e Marin tomar posse, em 8 de março. O valor tinha ficado “congelado” em R$ 30 mil por dois anos e começou com R$ 8 mil em 1993.

O “mensalinho” é descrito nos balanços como “doações” ou “repasses” e representa até 89% da receita total de uma federação, como ocorreu em Sergipe em 2011 – recebeu R$ 1,1 milhão da CBF. No ano passado, a Federação Paranaense foi quem ficou com o maior valor: R$ 1,2 milhão.

Outras entidades agraciadas, como as de Alagoas, Roraima, Mato Grosso e Distrito Federal, nem registram seus balanços na internet. Já a federação no Rio Grande do Norte o publica sem mostrar receitas e despesas.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Manutenção da verba repassada pela CBF teria contido revolta pelo fortalecimento de Del Nero com Marin
O jornal relata assembleia convocada por Ricardo Teixeira em 29 de fevereiro na qual foi anunciado o aumento do “mensalinho” fixo para R$ 50 mil. O ex-presidente ainda comunicou uma “participação nos lucros” que resultou na distribuição de R$ 100 mil para cada uma das 27 federações. O encontro ainda aprovou a mudança das eleições na CBF para antes da Copa do Mundo de 2014, evitando qualquer influência de um mau resultado da Seleção Brasileira no Mundial.

De acordo com a publicação, a garantia de manutenção da verba fez com que Minas Gerais, Rio de Janeiro, Bahia, Paraná, Pará, Rio Grande do Sul e Distrito Federal se acalmassem quanto ao fortalecimento de Marco Polo Del Nero, presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF) e empossado vice-presidente da Região Sudeste na CBF que ganhou até cargo na Fifa.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade