Futebol/Seleção Brasileira - ( - Atualizado )

Otimista, Felipão lamenta não ter contado com Neymar no Palmeiras

São Paulo (SP)

 

Algoz do Palmeiras no temporada com cinco gols e três partidas, o craque Neymar atormentou o Luiz Felipe Scolari enquanto o técnico dirigia o Verdão. Após sofrer com o santista, Felipão agora prefere comemorar a possibilidade de trabalhar com o camisa 11 pela Seleção Brasileira na busca pelos títulos da Copa das Confederações e da Copa do Mundo.

No comando do time canarinho, o treinador fara sua reestreia somente em 2013, mas já tem a equipe planejada em sua cabeça. Com bom humor, Felipão concedeu entrevista ao site oficial da Fifa e vibrou por não ter mais de encontrar soluções para marcar Neymar. “Como eu gostaria de tê-lo no Palmeiras quando estava lá! É ótimo que ele esteja junto com a gente agora e não de um lado contrário”, brincou.

Perguntado se o atacante não teria responsabilidades demais mesmo sendo tão novo, o técnico foi direto ao exaltar a personalidade do craque e lembrou de grandes ídolos que começaram a brilhar até mais jovens. “O Ronaldo brilhou com 19, 20 anos. O Pelé, quando foi, tinha 17, isso não é problema. É preciso ter muita personalidade, ser muito centrado. Não vejo como nada ruim o fato de, com 20, 21 anos, o jogador ser nosso grande ídolo”, destacou.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Fora da disputa pela Bola de Ouro, Neymar voltou a ser finalista do Prêmio Puskas pelo gol mais bonito do ano
Torcendo para que o português José Mourinho seja eleito o melhor técnico do ano pela Fifa, Felipão ressaltou a capacidade do treinador do Real Madrid em lidar com o ego de grandes estrelas. Além disso, ressaltou sua relação com Portugal ao colocar Cristiano Ronaldo como seu favorito a levar a Bola de Ouro, algo que não acontece desde 2008.

Para levantar ainda mais o moral de Neymar, Felipão deixou claro que o santista não deve nada aos finalistas deste ano e que deverá estar entre os três em 2013. Para o treinador, o técnico Muricy Ramalho é o grande responsável pela evolução do jogador.

“O Neymar não precisa ir para a Europa para ser escolhido o melhor do mundo, até porque o treinador que ele tem hoje no Santos é uma pessoa que vem trabalhando com ele há mais de um ano e, durante esse tempo, a gente nota a mudança em relação à atitude, ao posicionamento em campo. O Muricy ajudou e ainda ajuda muito o Neymar a crescer na parte tática. Ele vem evoluindo muito bem e que provavelmente ainda vai evoluir muito mais”, elogiou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade