Futebol/Bastidores - ( )

Sem dominar francês, camisa 7 tricolor aposta em sucesso em Paris

Tossiro Neto São Paulo (SP)

Apesar de ter iniciado aulas de francês depois do acerto com o Paris Saint-Germain, no meio da temporada, Lucas sabe bem pouco do idioma que terá que usar para se comunicar a partir de 2013. Ainda assim, o meia-atacante, que se despede do São Paulo nesta quarta-feira, aposta que fará sucesso na França.

"Não sei francês ainda, é difícil. Foi complicado dar continuidade nas aulas por conta das viagens, concentrações, com a Seleção Brasileira também. Acabei perdendo muitas aulas nessa correria de fim de ano e aprendi muito pouco. Vou ter que encarar mais essa quando chegar lá", explicou, antes de voltar a falar do desejo de, um dia, se tornar o melhor jogador do mundo.

"Esse é um dos meus maiores sonhos, sim. Sei que falta bastante, mas desde que comecei a jogar bola sempre sonhei com esse título individual. Minha saída para o PSG é um primeiro passo em busca desse sonho. Ao lado de grandes jogadores, disputando os melhores campeonatos do mundo, vou evoluir bastante", disse o jogador de 20 anos.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Em sua última coletiva no CT do São Paulo, meia Lucas foi homenageado pelos companheiros de clube
Maior revelação do São Paulo nos últimos tempos, Lucas entra em campo pelo clube pela última vez nesta quarta-feira, na final da Copa Sul-americana, contra o Tigre-ARG, no Morumbi. Se com a camisa 7 tricolor ele está próximo de uma conquista importante e chegou à Seleção Brasileira, a ida para o futebol francês, ele acredita, não será prejudicial à sequência de sua carreira. Nem estará mais distante da equipe verde-amarela, agora sob comando de Luiz Felipe Scolari.

"Estar na Seleção vai depender de mim, do meu momento, do meu futebol. Hoje em dia, a Europa é o foco do futebol, todo o mundo vai estar me vendo. O Paris está montando uma equipe muito competitiva, com jogadores consagrados. É claro que a liga espanhola é mais visada do que a francesa, mas foi melhor para mim e o São Paulo no momento", defendeu.

Na transferência, concretizada em valor recorde de 43 milhões de euros, ele foi liberado a permanecer por mais seis meses antes de se transferir em definitivo. Permitiu, assim, que tivesse a última oportunidade de sair do São Paulo com o primeiro título como profissional. Para isso, a equipe precisa vencer o Tigre no duelo marcado para 21h50 (de Brasília).

"Só sairei com sentimento de dever cumprido se alcançar esse objetivo de presentear a torcida e a diretoria. Dinheiro nenhum paga título. Pode acontecer de a gente não conseguir, mas só saio com o dever cumprido se for campeão", cobrou-se Lucas. Perguntado se lembrava ao menos como se dizia "tchau" em francês, ele riu e disse: "Esqueci".

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade