Futebol/Copa Sul-americana - ( - Atualizado )

Tigre faz reconhecimento atrasado e tem ônibus quebrado no Morumbi

Gabriel Carneiro e Tossiro Neto São Paulo (SP)

O clima de decisão da Copa Sul-americana fica cada vez mais acirrado. O ônibus trazendo os jogadores do Tigre chegou ao estádio do Morumbi por volta de 20h30 (de Brasília) e foi danificado pelos torcedores do São Paulo que estavam aglomerados na porta do local. Quatro janelas do veículo foram quebradas por pedras e latas arremessadas por alguns vândalos.

Sem poder fazer o reconhecimento de gramado no dia anterior ao duelo, como prevê o regulamento da Conmebol, o Tigre mal entrou no vestiário e já saiu para o campo de jogo, onde os 67 mil torcedores que formam o maior público do futebol nacional da temporada vaiaram incessantemente os jogadores rivais do São Paulo. O atacante Maggiolo, que passou mais próximo das arquibancadas, chegou a pedir para que os torcedores aumentassem o tom das vaias, ironicamente.

Logo que o ônibus da equipe chegou ao Morumbi com as janelas quebradas, os argentinos também sentiram o clima da final da Sul-americana e bateram com força do lado de dentro, aumentando a tensão. Segundo o efetivo policial local, que deteve apenas um torcedor por perturbação desde as 18 horas, o anel de segurança e a escolta feita pelos militares não suportou a ira dos torcedores são-paulinos. No gramado, os jogadores do Tigre permaneceram por cerca de 20 minutos, pouco ligando para a pressão adversária e chegando até mesmo a tirar fotos da torcida.

Dentro de campo, bastará ao São Paulo uma vitória simples para alcançar o inédito título da Copa Sul-americana. O Tigre, modesto time argentino, conta com o fator surpresa e o eficiente atacante Botta para sacramentar a fama de azarão. Mesmo suspenso, o zagueiro Alejandro Donatti também desembarcou e fez reconhecimento de gramado com o restante grupo.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade