Futebol/Copa Sul-americana - ( - Atualizado )

Tigre obtém carga igual de ingresso, mas treino à tarde cria impasse

Gabriel Carneiro, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

Segundo Rodrigo Molinas, presidente do Tigre, a diretoria do São Paulo não está respondendo à altura o bom tratamento recebido pelo clube na Argentina, na ocasião do primeiro jogo da final da Copa Sul-americana, semana passada. Na véspera da segunda e decisiva partida, o dirigente do clube portenho reclamou que está encontrando dificuldades para fazer reconhecimento do gramado do Morumbi e para equilibrar a disponibilização de ingressos para as duas partidas.

Na Bombonera, estádio que foi cedido para os dois clubes fazerem reconhecimento no dia anterior ao duelo, o Tricolor teve direito a pouco mais de 5% dos ingressos cedidos pelo clube argentino. Para a segunda partida, o Tigre esperava a mesma quantia, mas foi surpreendido ao receber previamente apenas 2% da carga, podendo levar 1.300 torcedores ao invés dos esperados 4.500. Além do problema com ingressos, a reclamação de Molinas diz respeito às más condições do gramado do Morumbi, que recebeu shows da cantora norte-americana Madonna nos dias 4 e 5 de dezembro.

“Queremos explicações e soluções. Conversei com o vice-presidente do São Paulo, porque não tivemos a quantidade de ingressos que queríamos e querem nos dar o gramado em um horário que não podemos para fazer o reconhecimento. Queríamos 4.500 entradas, número equivalente, mas nos deram 1.300 e disseram que era baseado nos dados da Polícia. Esperamos fazer o reconhecimento à tarde, e nos disseram que teve show da Madonna e que está complicado o campo de jogo. Queremos soluções, porque o jogo será na quarta-feira”, afirmou Rodrigo Molinas.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Molinas fez cobranças ao vice-presidente do São Paulo e foi atendido: terá 5% da carga de ingressos no Morumbi
Molinas chegou mais cedo ao Brasil para acompanhar a delegação e participar de um evento promovido, nesta terça, pela Conmebol e pela empresa patrocinadora da competição. João Paulo de Jesus Lopes, vice-presidente do Tricolor, também marcou presença neste evento e ouviu as cobranças do presidente do clube argentino. O mandatário do Tigre não descarta treinar outra vez no estádio do Canindé, da Portuguesa, se não tiver o Morumbi liberado.

Procurado, o clube garantiu que liberou a carga de 5% dos ingressos no final da tarde desta terça-feira, após ouvir as reclamações do Tigre, por meio de seu vice-presidente. Até o momento, a delegação do clube argentino, hospedada em um hotel da Zona Sul da cidade de São Paulo, não deixou o local em direção ao estádio do Morumbi.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade