Futebol/Bastidores - ( )

Voluntário no ‘novo’ Fla, Zico pensa em se aposentar do futebol

Bruno Grossi, especial para a GE.net São Paulo (SP)

Gênio incontestável com a bola nos pés, ídolo de uma nação e calejado com os bastidores do futebol, Zico pode estar perto de dar um adeus definitivo ao esporte. Depois saída polêmica da seleção do Iraque, o Galinho de Quintino descartou assumir funções no Flamengo ou na Seleção Brasileira e não vê a hora de poder dedicar seu tempo à vida familiar.

Pedra no caminho da então presidente flamenguista Patrícia Amorim, Zico se tornou o trunfo de Eduardo Bandeira de Mello, um dos candidatos a presidência do clube. Líder da Chapa Azul, o executivo contou com o apoio do craque e se elegeu na última segunda-feira com 1414 votos, comprovando a força do eterno camisa 10 da Gávea para os torcedores.

Zico está satisfeito com os resultados da eleição e aposta suas fichas, segundo ele, no caráter e na capacidade demonstrada por Bandeira de Mello em esporádicos encontros. “É uma pessoa muito séria. Ele vai estar auxiliado de gente com muita competência e conhecimento do que é necessário para o clube. Tenho certeza que as coisas serão melhores. Tive muito pouco contato com ele neste período final, mas o que se ouve são as melhores recomendações. No contato mano a mano, a gente vê como o cara se comporta”, ressaltou em entrevista exclusiva à GazetaEsportiva.net.

AFP
De 'férias' até a Copa do Mundo de 2014, Zico pode deixar de trabalhar com o futebol para aproveitar a família
Apesar da felicidade pela vitória nos bastidores, o ex-meio campista lembra que, pela atual situação do Fla, é preciso iniciar rapidamente o planejamento para 2013. Além disso, o Galinho garantiu que estará pronto para ajudar no que for preciso e recolocar o clube no caminho dos títulos.

“Apoiei a chapa e o cara venceu, isso é bom. Agora é mãos à obra. É trabalhar pra que as coisas funcionem. Estarei lá como voluntário, no que eles precisarem, bato papo e ajudo. A gente torce, mas temos que fazer uma arrecadação para poder fazer investimento em grande jogadores e montar um bom plantel”, alertou.

Se voltar a trabalhar oficialmente no clube do coração está descartado por Zico, um possível convite da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para integrar a reformulada comissão técnica da Seleção também não anima o ídolo rubro-negro. Depois de mais de três décadas voltadas ao futebol, o desejo de curtir a família pode fazer com que o adeus ao esporte seja antecipado.

“Vou fazer minha vida pessoal, ficar com minha família, meus netos até a Copa do Mundo de 2014. E nem sei se vou assumir mais alguma coisa depois. A idade vai chegando e a gente tem que aproveitar a família e descansar”, revelou o Galinho, que ainda depende de decisão da Fifa para se livrar de vez dos problemas com a seleção iraquiana: “Eles descumpriram o contrato, entramos com a recisão, vamos mandar nossos motivos e esperar a decisão da Fifa”, afirmou Zico, ansioso por dias de tranquilidade.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade