Futebol/Bastidores - ( )

Benazzi revela segredos para salvar dois clubes em 2012

João Victor Miranda, especial para a GE.net Bragança Paulista (SP)

O técnico Vágner Benazzi não deve se esquecer de 2012 tão cedo. Afinal, foram duas campanhas de recuperação em times desacreditados e que conseguiram fugir do rebaixamento quando parecia impossível. O treinador, conhecido também por subir equipes de divisão em trabalhos de curto prazo revela seus segredos, como o regime de concentração, criticado por Muricy Ramalho

“Fizemos seis concentrações, seguramos todo mundo na alimentação, no sono. É um jeito de tirar o máximo de cada atleta. E ajuda porque todo mundo faz tudo junto e isso dá força para o time. As esposas às vezes não entendem, mas é por isso que as concentrações são feitas, para que o jogador consiga dar o máximo e ter união com o grupo”, diz o treinador, discordando do multicampeão Muricy Ramalho, que costuma realizar trabalhos mais longos que os de Benazzi nas equipes por que passa.

No primeiro semestre, Benazzi operou seu primeiro milagre no Botafogo de Ribeirão Preto. Ele assumiu a equipe com três pontos, na sétima rodada, substituindo Lori Sandri. A campanha do time tricolor não foi brilhante, mas cinco vitórias nos 13 jogos que faltavam (foram sete derrotas e um empate), incluindo uma arrancada de três triunfos nas três rodadas finais, fizeram o Botafogo escapar do rebaixamento na última rodada diante do Guarani, com um gol aos 43 minutos da segunda etapa e com um homem a menos.

“Quando eu cheguei lá, ninguém acreditava mais. Nós tínhamos cinco ou seis dias para inscrever jogadores. Eu busquei alguns reforços pontuais a partir do que eu observei, promovi alguns jovens da base e nós conseguimos aquela vitória contra o Guarani na última rodada que nos livrou do rebaixamento”, analisa Benazzi, em entrevista à Gazeta Esportiva.Net.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Chamado de 'Rei de acessos', Benazzi provou em 2012 que também é bom em salvar times da degola
Sem clube no segundo semestre, o ex-lateral-esquerdo foi chamado para outra emergência: salvar o Bragantino do rebaixamento para a Série C do Campeonato Brasileiro. Quando assumiu, na 20ª rodada, o time de Bragança Paulista tinha 15 pontos e era o 18º, a seis pontos de sair do Z-4.

“Peguei um Bragantino diferente do que eu conhecia, do que tinha passado cinco anos com o Marcelo Veiga. Tinha um treinador revoltado com o time e vice-versa e havíamos perdido nosso torcedor. Mas, felizmente trocamos cinco jogadores, seguramos dois da base e conversamos com os atletas, falamos que ia ser difícil. Tem que chegar e falar a verdade pro jogador. Sem a verdade não vai”, explica o treinador.

Em um roteiro um pouco diferente, Benazzi levou o Braga para fora da zona de rebaixamento antes da última rodada. A seis rodadas do fim, o alvinegro já respirava mais aliviado, mas ainda assim chegou na última partida diante do Boa precisando vencer para garantir a permanência sem depender de outros resultados. A vitória veio por 3 a 0 e o time continua na Série B em 2013.

Vágner Benazzi ainda não tem futuro definido na equipe de Bragança, mas já manifestou o desejo de continuar, desde que não receba uma proposta irrecusável.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade