Futebol/Liga dos Campeões da Europa - ( - Atualizado )

Chelsea massacra, mas cai na 1ª fase; Juventus e Shakhtar avançam

Londres (Inglaterra)

 

Pela primeira vez no novo formato de disputa da Liga dos Campeões da Europa, o atual campeão do torneio foi eliminado ainda na fase de grupos. A quatro dias de embarcar para o Japão, onde é possível adversário do Corinthians na decisão do Mundial de Clubes, o Chelsea massacrou o lanterna Nordsjaelland por 6 a 1, em Stamford Bridge, mas não conseguiu a vaga nas oitavas de final. Na Ucrânia, a Juventus de Turim bateu o Shakhtar Donetsk por 1 a 0 e garantiu a liderança do Grupo E, se classificando ao lado dos donos da casa.

Com Oscar na reserva até metade do segundo tempo e Victor Moses atuando em alto nível, o Chelsea construiu sua vantagem com gols marcados por David Luiz, de pênalti, além de Juan Mata, Cahill, Fernando Torres, duas vezes, e finalmente o brasileiro ex-Inter. O holandês John diminuiu para o Nordsjaelland, que finalizou a primeira fase com dois pontos contra 10 do Chelsea. Mesmo chegando ao mesmo número do Shakhtar, os Blues perdem nos critérios de desempate (gols marcados fora de casa no confronto direto) e acabam eliminados. A Juve, que faz temporada arrasadora, finaliza com 12 pontos, na liderança da chave.

Se na Ucrânia o Shakhtar do ex-corintiano Willian foi derrotado com um gol contra do zagueiro Kucher, que deu a liderança da chave à Juventus aos 11 minutos do segundo tempo, na Inglaterra o time de Rafa Benítez, que alcançou sua primeira vitória no comando do Chelsea, já se prepara para entrar em campo no próximo sábado, pelo Campeonato Inglês. No dia seguinte, a delegação embarca para o Japão em voo fretado, para as semifinais do Mundial e tendo o Corinthians como provável rival em um dos piores momentos de sua história recente.

AFP
O Chelsea venceu o Nordsjaelland por 6 a 1, mas o resultado não adiantou: ingleses e dinamarqueses caíram

O Jogo - Desconfiada com as más atuações recentes do Chelsea, a torcida vaiou a equipe desde os primeiros minutos de bola rolando, em especial o técnico Rafa Benítez, que tem ligação forte com o Liverpool e substituiu Roberto Di Matteo, ídolo dos Blues, como treinador da equipe. Com ofensas ao comandante espanhol e na partida de número 100 de Ashley Cole, o Chelsea dominou desde o início, contando com 65% de posse de bola em alguns momentos da partida.

As primeiras chances estiveram nos pés de Fernando Torres, que teve marcadas duas posições de impedimento e também esbarrou na boa atuação do goleiro Hansen, que teve atuação de gala na partida. Outro jogador que se destacava era justamente Victor Moses, o substituto de Oscar, que puxava contra-ataques pelos dois lados em busca de espaços. A principal chance ocorreu após uma descida do nigeriano, que cruzou no meio da área e viu o capitão do Nordsjaelland, Stockholm, concluir para trás e acertar o travessão de Hansen.

Entre os 29 e os 36 minutos do primeiro tempo, o árbitro Bas Nijhuis exagerou no rigor e marcou três pênaltis discutíveis que mudaram a história do jogo. O primeiro foi a favor do time dinamarquês, quando Christiansen invadiu a área com drible para cima de Romeu, que conseguiu desviar. A bola bateu na mão de Cahill e, na cobrança, cinco minutos depois de quase marcar contra, Stokholm bateu à direita de Cech, que conseguiu a defesa.

Logo na sequência desta jogada, aos 33 minutos, Cahill cabeceou na segunda trave após cobrança de escanteio e Beckmann acabou desviando com o braço. Outro pênalti, desta vez para o time inglês, desperdiçado por Hazard, que bateu à esquerda e viu Hansen defender. Apenas três minutos depois, Mata recebeu lançamento de David Luiz, cortou a marcação e bateu para o gol. O participativo Stokholm afastou o perigo com a mão e novo pênalti foi marcado. Sem erro, David Luiz cobrou à direita de Hansen, com força, e finalmente abriu o placar.

AFP
David Luiz foi o único a acertar uma cobrança de pênalti na partida e embarca para o Japão no próximo domingo

Ainda houve tempo para mais uma jogada discutível aos 46 do primeiro tempo, quando Fernando Torres recebeu passe em velocidade de Victor Moses, invadiu a área e bateu na saída de Hansen, que deu rebote nos pés do espanhol, que desta vez não bobeou. A reclamação do Nordsjaelland foi a respeito de uma condução de bola com o braço do atacante, que comemorou discretamente o feito.

A celebração tímida de Fernando Torres representou a falsa ilusão de classificação do Chelsea, que naquele momento não se classificava em função da partida disputada em ritmo lento entre Shakhtar Donetsk e Juventus, líderes do Grupo E. Para piorar a situação, logo no primeiro lance da etapa complementar, o holandês John recebeu lançamento longo e bateu na saída de Petr Cech, diminuindo a vantagem dos Blues. No entanto, o time da casa demorou apenas cinco minutos para anotar o terceiro com Cahill, de cabeça, após cruzamento de Juan Mata.

O Chelsea se lançou ao ataque, mesmo com chances de classificação remotas em função do gol marcado pela Juventus, e conseguiu marcar mais três gols, com Fernando Torres, Juan Mata e o brasileiro Oscar, que entrou no lugar de Ramires e ainda teve oportunidade de marcar pelo menos mais dois.

AFP
Na Ucrânia, o zagueiro Kucher fez gol contra e a Juventus ficou na liderança do Grupo E, seguida pelo Shakhtar

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade