• EQUIPES
  • SEDES
  • CAMPEÕES
  • JOGOS
  • ELIMINATÓRIAS
  • FOTOS
  • BLOG

Futebol/Mundial de Clubes - ( - Atualizado )

Para Sheik, torcedores de seus ex-times não são iguais ao corintiano

São Paulo (SP)

A carreira de Emerson tem passagens por várias equipes populares. Até no Japão o Sheik defendeu um time cuja torcida é numerosa e fanática, mas nem Urawa Reds, nem Flamengo, nem São Paulo, nem Fluminense têm, segundo ele, torcedores como os do Corinthians.

“Eu não quero ser injusto com todos os outros clubes em que joguei, que têm uma torcida linda”, disse o atacante, ao SporTV, antes de agradar à Fiel: “Mas fazer o que o corintiano faz, não, não, não”.

Emerson voltou a exaltar as mais recentes demonstrações de carinho – a festa desta terça-feira, o abraço no embarque para o Mundial e a invasão do Japão. Do alto do trio elétrico, disse que passou a fazer uma ideia maior do que é o Timão.

Djalma Vassão/Gazeta Press
De acordo com Emerson, a Fiel fez os atletas mudarem os planos e atrasarem o descanso na volta do Japão
“É difícil descer e agradecer a cada um. Nossa gratidão é muito grande. Eles fazem parte da conquista por tudo o que fizeram. Muito obrigado por tudo, por deixar a gente vestir esta camisa aqui, que é muito grande. Poucos atletas conseguem ter a dimensão do que é o Corinthians”, comentou.

Segundo o Sheik, a relação com a torcida mudou os planos dos cansados jogadores. “A gente falou: ‘Vamos ficar uma hora, duas horas, e vamos descansar, ver a família’. Mas seria injusto. Vamos ficar perto deles porque este momento é especial.”

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade