• EQUIPES
  • SEDES
  • CAMPEÕES
  • JOGOS
  • ELIMINATÓRIAS
  • FOTOS
  • BLOG

Futebol/Mundial de Clubes - ( - Atualizado )

Um ano após se licenciar, Andrés ressalta renovação no poder

São Paulo (SP)

O Corinthians comemora neste domingo o título do Mundial de Clubes exatamente um ano e um dia depois da última vez em que Andrés Sanchez respondeu como presidente do clube. Apesar de ser indiretamente um dos responsáveis pela conquista, em razão da estrutura e o planejamento deixados, ele voltou a ressaltar importância de se renovar o poder.

"É importante deixar bem claro que renovação, transparência, mudança de poder nos clubes é importante. O Corinthians está dando exemplo disso. Saí com alta aprovação, e entrou o Mário Gobbi. Tem que haver transparência e renovação no futebol", disse à Rádio Jovem Pan.

Andrés se licenciou da presidência em 15 de dezembro do ano passado, embora tivesse mais dois meses de mandato. Inicialmente, o cargo foi ocupado pelo vice-presidente e diretor de futebol, Roberto de Andrade, até Mário Gobbi se eleger, em fevereiro. Com o novo presidente, a equipe ganhou o tão sonhado título da Libertadores e se classificou para tentar – e ganhar neste domingo – o bi mundial.

No começo deste ano, Andrés assumiu a diretoria de seleções da Confederação Brasileira, porém manteve contato quase que diário com Gobbi, seu sucessor. Recém-saído da CBF, cuja sede é no Rio de Janeiro, o dirigente voltou a acompanhar mais de perto o clube de coração, viajando como torcedor ao Japão.

Lá, ele pôde ver Tite vencer o terceiro troféu pelo clube. O treinador sempre cita gratidão a Andrés pelo fato de não ter sido demitido após queda precoce na fase preliminar da Libertadores, em 2010. Na opinião do ex-presidente, a continuidade do comandante, qualquer que seja ele, é um dos segredos de sucesso para qualquer equipe.

"Para mudar de treinador, tem que ser algo isolado, bem pensado. Infelizmente tive que tirar o Adilson (Batista, demitido no segundo semestre de 2010), mas foi por mil razões, mais por culpa dele. Fiquei muito triste e decepcionado, porque acredito que treinador tem que ter no mínimo um ano e meio, dois anos para trabalhar", falou.

"Não digo por causa do título, que é o coração, mas por tudo que vem sendo feito nos últimos anos, o Corinthians vai se tornar um dos maiores clubes do mundo", projetou Andrés, entre os milhares de corintianos que fazem festa neste domingo em Yokohama.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade