Futebol/Mundial de Clubes - ( - Atualizado )

Vampeta só condena Léo por “dar para trás” depois de provocação

Helder Júnior e William Correia São Paulo (SP)

Acostumado a provocar os rivais do Corinthians, Vampeta não ficou ofendido com uma brincadeira feita por Léo antes do Mundial de Clubes. O lateral esquerdo do Santos causou polêmica ao dizer que a torcida corintiana fez tumulto no embarque do time ao Japão por não ter o hábito de frequentar o aeroporto, e sim a rodoviária.

“O Léo não é corintiano e não iria torcer pelo Corinthians. Deu uma provocada, e não foi nada de mais. Só achei uma coisa errada: o Léo não deveria dar para trás. Se falou, está falado”, ensinou o provocador Vampeta.

Léo se retratou depois de despertar a ira de muitos jogadores do Corinthians, que se manifestaram contra o colega de profissão pelo Twitter. Ainda assim, ele virou alvo de gozações no desembarque do time campeão mundial em São Paulo. Emerson Sheik não se cansou de gritar “chupa, Léo” ao microfone nas comemorações pelas ruas da cidade. Já Romarinho puxou o coro para a torcida completar: “Ei, Léo...”.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Vampeta participou de jogo beneficente promovido por Zico na noite de quinta-feira, no Morumbi
“A resposta do Sheik também foi normal”, minimizou Vampeta, antes de lembrar que o Santos não conseguiu ser campeão mundial no ano passado. “O Léo teve a chance dele e tomou um laço de quatro do Barcelona”, gargalhou o ex-atleta.

Vampeta ainda aproveitou o assunto para defender o outro título mundial conquistado pelo Corinthians, em 2000. Na ocasião, milhares de torcedores seguiram de ônibus para o Rio de Janeiro para ver o time ser campeão do primeiro Mundial de Clubes com a chancela da Fifa.

“Fomos convidados mesmo. Na época, éramos o representante do país-sede, pois fomos campeões brasileiros. A regra do Mundial continua assim. Tanto é que o Kashima (na verdade, o clube que disputou o torneio com convite em 2012 foi o Sanfrecce Hiroshima) entrou neste ano como campeão japonês. A conquista de 2000 tem o mesmo valor”, argumentou Vampeta, campeão do mundo pelo Corinthians e pela Seleção Brasileira.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade