Atletismo/São Silvestre - ( - Atualizado )

Satisfeitos com largada de manhã, africanos garantem melhora

São Paulo (SP)

Não foi só aos brasileiros que a mudança de horário da largada da Corrida Internacional de São Silvestre agradou. Os principais corredores africanos que vieram a São Paulo neste fim de 2012 asseguram que, com o clima matutino, poderão fazer jus à fama de homens e mulheres mais rápidas do mundo.

A elite masculina larga às 9 horas (de Brasília) desta segunda-feira, 20 minutos depois da feminina. Para Mark Korir, do Quênia, a escolha do horário foi acertada. “Ano passado, a tarde, foi uma corrida muito difícil para nós”, lembrou o vice-campeão de 2011, com o tempo de 43min58s. “É minha terceira vez na São Silvestre. Treinamos muito, estamos prontos para competir”.

Na última prova, a chuva que caiu sobre São Paulo complicou a vida de vários corredores, o que, na opinião da também queniana Maurine Kipchumba, atleta do Cruzeiro, será evitado com o novo horário. “A manhã é melhor para os atletas”, decretou.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
O queniano Korir (E) é favorito, mas terá concorrência do compatriota Aperumoi (C) e do etíope Belete Terefe

Normalmente, as provas e os treinos diários dos corredores de rua são realizados pela manhã, o que vai facilitar a vida de todos. “Eu acho que correr cedo é melhor para a competição. Amanhã vai haver melhora no resultado”, afirmou Rumokol Chepkanan. Quinta colocada na última edição, a corredora do Quênia viu a compatriota Priscah Jeptoo marcar o recorde da prova com 48min48s, na primeira vez que uma mulher baixou a casa dos 50 minutos nos 15 km da São Silvestre. A largada, no ano passado, foi dada às 17h10.

Apostando em tempo bom em sua primeira participação, o queniano, Joseph Aperumoi volta a São Paulo depois de ter quebrado o recorde da Meia Maratona da capital paulista em março, prova disputada durante a manhã. “Estou muito otimista e muito feliz de estar aqui. Espero correr o mais rápido possível”, disse fundista, também atleta do Cruzeiro.

O recorde entre os homens, 43min12s, pertence ao lendário Paul Tergat, pentacampeão da São Silvestre, e foi marcado em 1995, quando a largada aconteceu às 17 horas. Korir, o principal favorito desta vez, foi 46 segundos mais lento no ano passado.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Rumokol Chepkanan (E), Nancy Kipron (C) e Maurine Kipchumba são as principais  africanas na São Silvestre

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade