Futebol/Mercado - ( - Atualizado )

Goiás ainda espera contato do Cruzeiro para vender Ricardo Goulart

Goiânia (GO)

A novela envolvendo o jovem Ricardo Goulart se estenderá por um bom tempo em Goiânia e Belo Horizonte. Após dar a transferência da promessa esmeraldina como certa, o Cruzeiro foi informado pelo presidente João Bosco Luz de que o negócio ainda não está fechado. Segundo o mandatário, a Raposa ainda não entrou em contato para definir os valores envolvidos na transação de seu meia-atacante.

“O Ricardo Goulart tem contrato conosco até o fim de 2014. Eu tenho uma relação muito boa com o Gilvan de Pinho Tavares, presidente do Cruzeiro. Ele foi militante como eu no STJD e tenho uma amizade de mais de dez anos com ele. Eu não espero outra coisa da parte do Cruzeiro caso eles avancem na negociação”, disse o dirigente, em entrevista ao Portal 730.

Divulgação/Site Oficial
O Goiás permanece irredutível e a transferência de Ricardo Goulart ao Cruzeiro segue indefinida
As complicações envolvendo a transferência de Ricardo Goulart estão ligadas diretamente ao modo como o Cruzeiro decidiu negociar a sua contratação. O atleta tem todos os seus direitos ligados ao Coimbra, que é uma agremiação ligada a um fundo de investimentos do Banco BMG. Para evitar qualquer negativa nas conversas, a diretoria celeste optou por procurar apenas o conglomerado de empresários e não contatou o Goiás.

Isolado nas negociações, o Esmeraldino se manteve irredutível para liberar o atleta. O time terá de romper o contrato vigente com a jovem promessa para permitir a conclusão de sua transferência ao Cruzeiro. No entanto, o aval do Goiás só deverá ser dado mediante uma compensação financeira. O dinheiro seria essencial para o clube acordar a vinda de outro nome para ocupar a posição nos campeonatos de 2013.

Fundamental para o título da Série B e o consequente retorno à elite do futebol nacional, Ricardo Goulart também gerava a cobiça do Atlético-MG. O Galo dizia ter depositado 50% do valor de sua compra na conta do BMG, mas teve o acordo atravessado pelo rival mineiro. Ao ser informado do interesse do jogador em defender a Raposa, o presidente Alexandre Kalil criticou o atleta e foi claro com relação à postura atleticana: “Nós não somos time de disputar promessas”, bradou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade