Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Apesar de elogios de Paulo Pelaipe, Zinho fica mais longe do Fla

Gazeta Press Rio de Janeiro (RJ)

O ex-jogador Zinho pode deixar o departamento de futebol do Flamengo nos próximos dias. O jogador tem evitado dar declarações públicas, mas está irritado com a maneira como a nova diretoria está tratando os atuais membros do departamento de futebol.

Uma fonte ligada ao dirigente informou que Zinho ficou insatisfeito após conversar com o diretor executivo Paulo Pelaipe. O teor da conversa fez com que o ex-jogador se deparassem com um cenário em que perderia poder e ainda precisaria aceitar uma redução salarial.

Zinho foi convidado a permanecer no clube como gerente de futebol. Não teria nenhuma influência na contratação de jogadores e faria apenas a interface entre elenco e diretoria, além de supervisionar questões estratégicas e de logística. As tarefas não incomodaram o diretor, que sempre se posicionou mais como um boleiro do que um gestor de contratações e negócios. Quando aceitou o convite da presidente Patricia Amorim, o próprio ex-jogador chegou a falar que não gostaria de mexer com contratos e dinheiro.

Mas, se a redução de poderes não incomodou muito, Zinho se assustou com a redução salarial que teria que aceitar. Atualmente, o seu salário é equivalente ao acordado com o diretor executivo Paulo Pelaipe. O novo salário seria correspondente a menos da metade do atual.

Outro fator que irritou muito o ex-jogador foram as declarações de Pelaipe em uma entrevista coletiva, quando ele descartou qualquer possibilidade de acerto com o meia Renato Augusto, que está no futebol alemão. O jogador vinha negociando com Zinho, que considerava a sua contratação uma questão de honra.

Apesar de um quadro em que tudo indica que Zinho pedirá demissão nos próximos dias, Pelaipe vem elogiando o ex-jogador, a quem considera muito importante para a nova diretoria.

“O Zinho seria, nessa nova estrututa, um cara muito importante, uma pessoa de muita confiança. Ele estaria no dia a dia comigo, me ajudando. Logicamente que também estarei sempre perto do elenco, viajando com o time, inclusive”, disse Pelaipe.

André Portugal/Vipcomm
Zinho estaria insatisfeito com sua possível redução salarial e perda de poder no Flamengo
Com a diretoria definida, o clube começará a procurar reforços no mercado e resolver pendências do atual elenco. O lateral direito Wellington Silva, com os direitos federativos ligados ao Resende, o volante Amaral, preso ao Nova Iguaçu, e o meia Wellington Bruno, que tem seus direitos federativos divididos por um grupo de empresários, têm contrato somente até 31 de dezembro.

A tendência é que os dirigentes tentem a permanência de todos, mas o primeiro também está nos planos do Fluminense, o que pode inflacionar as negociações e atrapalhar os planos flamenguistas. Também tem contrato chegando ao fim o lateral direito Leonardo Moura e o meia Renato Abreu. Os dois iniciaram as negociações com Zinho, mas resta saber se o que foi apalavrado pela diretoria anterior será colocado em prática pelos novos dirigentes.

Certo é que Paulo Pelaipe terá pouco tempo para trabalhar na formação do elenco para a próxima temporada, pois a reapresentação do plantel acontecerá em 3 de dezembro, quando começa a preparação para a disputa da Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca. O Rubro-Negro estreia no dia 19 de janeiro, diante do Goytacaz, no Rio de Janeiro.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade