Motor/Fórmula 1 - ( - Atualizado )

Alonso minimiza polêmica do Brasil, cita Senna e pensa em legado

Valencia (Espanha)

A polêmica causada pela reclamação da Ferrari sobre uma manobra de Sebastian Vettel no Grande Prêmio do Brasil foi minimizada pelo espanhol Fernando Alonso. No evento de final de ano da escuderia, realizado neste final de semana, ele ainda citou o brasileiro Ayrton Senna e falou sobre o legado que gostaria de deixar na Fórmula 1.

Baseada em um vídeo divulgado na Internet, a Ferrari alegou que Vettel ultrapassou o francês Jean Eric-Vergne, da Toro Rosso, equipe satélite da Red Bull, com bandeira amarela. A Federação Internacional de Automobilismo (FIA), por sua vez, contestou a tese e garantiu que um fiscal havia mostrado a bandeira verde ao alemão.

“Com toda a pressão dos fãs, que era quase um clamor, tomou-se a decisão certa de pedir uma explicação e, fosse qual fosse a resposta, seria muito bem recebida, sobretudo por parte dos fãs. Não é preciso falar mais disso. Estamos todos mais tranquilos, pensando em 2013”, declarou Alonso.

Com o terceiro campeonato seguido, Vettel igualou o compatriota Michael Schumacher e o argentino Juan Manuel Fangio. Superado pelo alemão também em 2010, Fernando Alonso, campeão em 2005 e 2006, permanece em busca de seu primeiro título pela Ferrari, mas classifica as temporadas na escuderia como as melhores de sua carreira.

AFP
O piloto espanhol Fernando Alonso procurou minimizar a polêmica causada pela reclamação da Ferrari à FIA
“Foram três anos fantásticos, estando perto dos títulos, os melhores da minha vida, tanto que eu concordaria em ter outros três exatamente iguais. Vamos ficar com o lado bom desse ano: as vitórias e o fato de ter brigado a cada corrida, o que foi quase um milagre”, disse.

Fernando Alonso e Sebastian Vettel brigavam pelo status de mais jovem tricampeão da história da Fórmula 1, feito que estava no currículo de Ayrton Senna. Ao falar sobre o legado que deseja construir, o espanhol citou o ex-piloto brasileiro, falecido em 1994.

“Há quem tem títulos ou não e é amado eternamente, como o Gilles Villeneuve. Outros consideram Ayrton Senna o melhor mesmo sem ter os quatro títulos de Prost, os cinco de Fangio ou os sete de Schumacher. Espero que, quando me aposente, seja considerado um dos melhores, independente dos títulos que tenha”, declarou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade