Motor/Fórmula 1 - ( - Atualizado )

Baseado em resultados, Horner afirma que não manteria Massa

Maranello (Itália)

Para sorte do brasileiro Felipe Massa, Christian Horner é chefe da Red Bull e não da Ferrari. O dirigente analisou a campanha do brasileiro e afirmou que os resultados conquistados pelo ferrarista não justificam sua permanência na escuderia italiana, que teria renovado por falta de opções melhores.

“Eu não o teria mantido”, declarou Horner. Massa teve um começo de temporada ruim, em que apresentou grande contraste com relação ao seu companheiro de equipe, o espanhol Fernando Alonso. O brasileiro evoluiu na segunda metade do campeonato e conseguiu equiparar seus resultados com o parceiro, embora a melhora não tenha apagado o início abaixo das expectativas.

“Infelizmente, este é um meio duro, baseado em resultados. É preciso olhar para o cara do outro carro, que deveria ser um equipamento igual, e ver o que ele está conquistando”, explicou Horner se referindo a diferença de rendimento dos pilotos da Ferrari.

AFP
Início de temporada ruim em 2012 deixou dúvidas sobre o merecimento de Massa permanecer na Ferrari

Segundo o dirigente, a Ferrari reconheceu a temporada ruim de Massa, mas não conseguiu fechar nenhuma negociação com outro piloto. Quando as opções se limitaram, o brasileiro cresceu e motivou a escuderia de Marenello a renovar seu contrato.

“Eles, obviamente, observaram outros pilotos – pelo menos um dos nossos –, então eles estavam preocupados com a forma de Massa. Mas suas opções passaram a ficar limitadas. Eles ficaram de olho em Pérez, que, na fase inicial do ano, parecia o candidato natural àquela vaga. Ele mostrou boa evolução, era membro da Academia de Pilotos, mas a McLaren o anunciou. Felipe começou a se recuperar no final, quando eles se deram conta, era a melhor opção”, ressaltou o chefe da Red Bull.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade