Motor/Fórmula 1 - ( - Atualizado )

Ecclestone considera que Schumacher não deveria ter retornado à F-1

Londres (Inglaterra)

Depois da aposentadoria definitiva do alemão Michael Schumacher, o chefe máximo da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, analisou a decisão do piloto e considerou que ela foi precipitada. Segundo ele, as pessoas deveriam lembrar apenas do campeão antes do retorno, com a Mercedes.

“Eu preferia que ele tivesse parado como campeão mundial sete vezes, do que parar agora”, declarou Ecclestone. “As pessoas novas para o esporte, que se juntaram a fraternidade da Fórmula 1 recentemente, vão lembrar de Michael agora e não como ele era. Eles não veem o herói que ele era, mas sim o ser humano que pode falhar ”, ressaltou o dirigente, preocupado com a imagem do heptacampeão e ídolo da categoria.

Apesar de considerar a decisão errada, Ecclestone admitiu que o heptacampeão faz falta na Fórmula 1. “Ele gostava de correr e ajudava a trazer coisas boas para a Fórmula 1. Sentimos falta de Michael, porque mesmo não ganhado corridas nesses três anos, ele ainda é muito popular”, reconheceu.

AFP
Schumacher disputou três temporadas pela Mercedes até que se decidiu pela aposentadoria definitiva

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade