Motor/Fórmula 1 - ( - Atualizado )

Haug assume responsabilidade por fraco desempenho da Mercedes

Stuttgart (Alemanha)

Depois de três temporadas tentando se estabelecer entre as grandes escuderias da Fórmula 1, a Mercedes terminou mais um ano entre as medianas, sem os resultados esperados e condizentes com tamanho investimento realizado na equipe. Esses foram os fatores que motivaram a saída do diretor-esportivo Norbert Haug, que se responsabilizou pelo insucesso do time.

O dirigente revelou que a decisão só foi tomada, após a última corrida do ano, o Grande Prêmio do Brasil. “Tomei esta decisão depois da última corrida. Tivemos um relatório em Stuttgart e chegamos a um acordo mútuo. Assumo a responsabilidade por não termos sido bem-sucedidos o bastante nesses três anos”, declarou em entrevista ao site britânico Autosport.

A Mercedes conseguiu apenas uma vitória e uma pole, ambas com Nico Rosberg, além de seis pódios conquistados ao longo dos três anos, muito pouco para as pretensões da escuderia. Haug garantiu que não deixou ressentimentos com a equipe.

“Não há nenhum clima ruim entre o conselho e eu. Nós dividimos isso de maneira amigável e encontramos uma boa solução para os dois lados”, esclareceu. “Meu trabalho não foi bom o bastante. Assumo total responsabilidade por isso. Mesmo eu não construindo o carro, sou o responsável. E se fui responsável pela vitória na China, também tenho de ser responsável por tudo o que aconteceu”, acrescentou o dirigente, se referindo ao trinfo de Rosberg na etapa de Xangai.

Haug ainda comemorou o descanso depois do longo tempo de dedicação a equipe. “Neste ano, fiquei de fora por 34 finais de semana, entre fevereiro e a última corrida, o que é muito”, afirmou, pensando em esquiar nas férias depois de se desligar completamente da Mercedes.

Um dos cotados para assumir seu posto é o ex-piloto e companheiro de Ayrton Senna na McLaren, Gerhard Berger, mas o dirigente esquivou-se de qualquer opinião a respeito. “Não sei nada sobre isso”. Independentemente do próximo diretor-esportivo, Haug se mostrou confiante na sequência da Mercedes na Fórmula 1.

“Estou 100% convencido disso. É preciso tempo, mas acho que os caras ficarão bem. Não vamos quebrar recordes mundiais no primeiro passo, mas tenho certeza que Niki e Ross darão tudo de si” finalizou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade