Motor/Fórmula 1 - ( - Atualizado )

Presidente da Ferrari ironiza Ecclestone e critica Schumacher

Valencia (Espanha)

Depois de ver Bernie Ecclestone, 82 anos, ridicularizar a reclamação da Ferrari sobre uma manobra do alemão Sebastian Vettel no Grande Prêmio do Brasil, Luca di Montezemolo, presidente da escuderia italiana, rebateu ao ironizar o detentor dos direitos comerciais da Fórmula 1 e ainda criticou o alemão Michael Schumacher.

“Meu pai me ensinou que devemos respeitar as pessoas mais velhas, sobretudo quando chega um momento em que já não são capazes de controlar as palavras, mas é certo que a idade não é incompatível com ter uma certa responsabilidade”, declarou Montezemolo durante o evento de final de ano da Ferrari em Valência.

Baseada em um vídeo divulgado na Internet, a Ferrari alegou que Vettel ultrapassou o francês Jean Eric-Vergne, da Toro Rosso, equipe satélite da Red Bull, com bandeira amarela. A Federação Internacional de Automobilismo (FIA), por sua vez, contestou a tese e garantiu que um fiscal havia mostrado a bandeira verde ao alemão.

“Depois dessa resposta, para nós o assunto estava encerrado”, disse Montezemolo, defendendo a atitude da Ferrari. “Dissemos á FIA que tínhamos imagens que poderiam gerar dúvida e queríamos saber a opinião dela. Independente da decisão, nós aceitaríamos, e foi o que fizemos. Fizemos a coisa certa”, acrescentou.

AFP
Luca di Montezemolo, presidente da Ferrari, caminha entre seus dois pilotos em evento da Ferrari na Espanha
O dirigente ainda criticou Michael Schumacher, com passagem de sucesso pela escuderia italiana, por ter supostamente facilitado a passagem de Vettel, seu amigo pessoal, em Interlagos. “Esperava outra atitude no último Grande Prêmio da carreira de um grande campeão”, reclamou Montezemolo.

Após 20 etapas, Fernando Alonso terminou o Mundial na segunda colocação, com apenas três pontos a menos que Vettel (281 a 278). Já o brasileiro Felipe Massa, depois de demonstrar grande evolução na segunda metade do campeonato, ficou na sétima posição com 122 pontos ganhos.

“A conclusão do ano é que estou muito orgulhoso do que a equipe fez. A confiabilidade do carro foi excepcional, assim como a estratégia e as paradas nos boxes. É difícil encontrar erros. Na próxima temporada, temos que buscar uma melhoria nas sessões classificatórias”, afirmou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade