Futebol/Copa Libertadores - ( - Atualizado )

Atlético-MG considera grupo na Libertadores difícil e se preocupa

Do correspondente Wanderson Lima Belo Horizonte (MG)

Na avaliação do presidente Alexandre Kalil, o Atlético-MG caiu em um grupo difícil na libertadores, mas que não pode ser considerado como o grupo da morte. O dirigente já pensa na estreia alvinegra na competição e promete fazer uma festa muito grande para a torcida atleticana, que vai voltar a ver a equipe na competição mais importante da América. A última participação do Galo na Libertadores foi em 2000, sendo eliminado pelo Corinthians nas quartas de final.

“O grupo não é da morte, mas é um grupo difícil. Devemos estrear, pelo que eu vi, contra o vencedor do jogo do São Paulo, no Independência, o que é financeiramente muito bom. Vamos fazer uma festa linda no Independência, vamos lotar, fazer um torneio importante, estou muito orgulhoso”, disse Kalil em entrevista à Rádio Itatiaia.

O mandatário alvinegro ainda parabenizou a torcida do Galo e prometeu trabalho na busca de reforços para a equipe. “Quero parabenizar a torcida do Atlético-MG. Sei o orgulho do torcedor por estarmos aqui no sorteio, estão todos acompanhando. Até dia 7 de janeiro é tentar reforçar e depois trabalhar e trabalhar muito para chegar a essa Libertadores”, declarou.

O Atlético-MG estará no grupo 3, ao lado de Arsenal-ARG, The Strongest-BOL e o vencedor do confronto de São Paulo x Bolivar. Kalil demonstrou preocupação com altitude já que o Atlético-MG terá os bolivianos pela frente. “Tem aquela chatura de altitude, pelo menos tem desculpa quando perder, fala que é altitude, mas não vai acontecer. Vamos ganhar, vai ser um ano muito bom”, comentou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade